Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Obama oferece a Netanyahu mediação para cessar-fogo entre Israel e Hamas

Ofensiva israelense para impedir disparo de foguetes provocou a morte de 81 pessoas em 72 horas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ofereceu nesta quinta-feira ao primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu mediação para conseguir um cessar-fogo entre Israel e o Hamas. Obama também pediu que as duas partes “restaurem a calma” diante do conflito que já causou a morte de 81 pessoas em apenas 72 horas.

Em conversa telefônica, Obama garantiu a Netanyahu que os Estados Unidos continuam preparados para facilitar o fim hostilidades e a renovação do acordo de cessar-fogo de novembro de 2012, mediado pela então secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

Obama “reiterou a forte condenação dos EUA aos contínuos disparos de foguetes contra Israel pelo Hamas e outras organizações terroristas e reafirmou o direito de Israel de se defender destes ataques”, afirmou a Casa Branca em um comunicado.

Leia também

Israel ataca 160 alvos em Gaza e deixa seis mortos

Hamas lança foguetes contra Jerusalém e Tel Aviv

Israel enfrenta confrontos após morte de palestino queimado vivo

“O presidente (Obama) expressou sua preocupação pelo risco de uma escalada de violência e enfatizou a necessidade de que todos os lados façam tudo o que puderem para proteger as vidas dos civis e restaurar a calma”, acrescentou o documento.

Em outra conversa telefônica, o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, pediu hoje ao secretário de Estado dos EUA, John Kerry, que intervenha por um cessar-fogo imediato.

Netanyahu insistiu nesta quinta-feira que seu país tem o direito e a obrigação de se defender e afirmou que continuará com a operação até que alcance seus objetivos declarados: acabar com a infraestrutura do Hamas e deter o lançamento de foguetes.

A ofensiva militar de Israel contra Gaza responde ao disparo de foguetes contra o sul do território israelense pelas brigadas Ezedin al-Qassam, o braço armado do Hamas.

Obama voltou a expressar hoje suas condolências a Netanyahu e ao povo de Israel por uma das situações detonadoras da atual crise, o assassinato de três estudantes judeus sequestrados na Cisjordânia, e cobrou que os responsáveis sejam julgados, informou a Casa Branca.

O presidente americano também elogiou a detenção de suspeitos pelo sequestro e assassinato do adolescente palestino Mohammed Abu Khdeir – crime cometido em represália pelo assassinato dos jovens israelenses.

Por fim, Obama mostrou “preocupação” com a situação de Tariq Abu Jedir, um jovem palestino-americano libertado esta semana após ser detido e supostamente agredido por policiais israelenses.

Obama e Netanyahu conversaram também sobre as negociações sobre o programa nuclear do Irã entre Teerã e o Grupo 5+1 (os cinco membros do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha).

(Com agência EFE)