Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nove meninas foram atacadas na região onde Madeleine sumiu

Um dos casos citados pela polícia foi registrado exatamente na Praia da Luz, em 2005, dois anos antes do desaparecimento da britânica

Os investigadores responsáveis pelo caso do desaparecimento da menina britânica Madeleine McCann agora sabem de outros nove casos de abuso sexual de garotas ocorridos na mesma região de Portugal, entre 2004 e 2006. Um deles, envolvendo uma menina de 10 anos de idade, foi registrado exatamente na Praia da Luz, em 2005, dois anos antes do desaparecimento de Madeleine.

Os novos casos foram descobertos depois de um apelo feito pela polícia no mês passado em busca de mais informações sobre um suspeito que teria invadido quartos de famílias britânicas que passavam férias em resorts na região. Segundo a Scotland Yard, mais de 500 pessoas deram informações aos investigadores. Todas as colaborações vieram da Grã-Bretanha, apesar de o apelo também ter sido dirigido a pessoas na Alemanha, Holanda e Irlanda. A polícia britânica disse estar “cautelosamente otimista” em relação ao trabalho de campo que será comandado pela polícia portuguesa no Algarve, informou o jornal The Guardian.

Leia também:

Registros telefônicos podem esclarecer caso Madeleine

Polícia divulga imagem de novo suspeito no caso Madeleine

Desaparecimento de Madeleine pode ter sido crime premeditado

Segundo o detetive Andy Redwood, as denúncias recebidas levaram a polícia a novos casos antes desconhecidos. “Entre as novas informações, temos um crime que ocorreu na Praia da Luz, em 2005, cuja vítima é uma jovem garota branca de 10 anos de idade. É claro que o fato de termos agora um caso de abuso sexual no coração da Praia da Luz, muito perto de onde um outro caso foi relatado anteriormente, significa que estamos ainda mais interessados nessa parte do inquérito”.

Ao todo, a polícia britânica investiga dezoito casos em que apartamentos no Algarve foram arrombados sem que nada fosse levado do local – desse total, nove casos são de abuso sexual contra meninas britânicas entre 6 e 12 anos de idade. Os investigadores dizem que as “características comuns entre os casos” levam a crer que possa existir uma relação entre os crimes e o sumiço de Madeleine. A partir de um apelo feito anteriormente, testemunhas descreveram um suspeito como um homem de pele bronzeada, cabelos escuros e que falava inglês com forte sotaque estrangeiro. Uma recompensa de 20.000 libras (75.188 reais) foi estipulada para qualquer informação que possa levar à prisão dos sequestradores de Maddie.