Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maduro lança ‘plano coelho’ para combater falta de carne

Na Venezuela, os coelhos são populares como mascotes, o que tem dificultado a implantação do projeto do governo

Comer carne virou luxo para muitos cidadãos com a atual crise econômica na Venezuela. Porém, o governo de Nicolás Maduro acredita ter a solução com o “plano coelho”, uma iniciativa para incentivar a criação e o consumo desse animal.

“Para a proteína animal, que é um tema tão importante, aprovou-se o início de um ‘plano coelho’, porque os coelhos se reproduzem como coelhos”, brincou Maduro na noite de terça-feira em uma rede de rádio e televisão. O mandatário disse que o plano faz parte da ofensiva contra a “guerra econômica” – como se refere à crise – e está sob a responsabilidade de Freddy Bernal, chefe de um programa de venda de alimentos subsidiados em setores populares.

A carne de coelho não é habitual na dieta dos venezuelanos. O animal é, na verdade, mais popular como mascote, o que tem dificultado a implantação do projeto do governo.

Bernal entregou recentemente um primeiro lote de crias em bairros pobres, mas, segundo ele, as pessoas se apegaram aos mamíferos e passaram a adotá-los “como animais de estimação”. Por isso, propôs uma campanha “para que se entenda que o coelho não é um animal de estimação, mas dois quilos e meio de carne com alta proteína e sem colesterol colocada na mesa dos venezuelanos”.

Bernal comentou que “muita gente colocou nomes nos coelhos e que os levaram para dormir na cama” e que reverter esse padrão de conduta “é parte da batalha para ganhar a guerra econômica”. O governo socialista também insinuou a criação de cabras para substituir o consumo de carne bovina.

A Venezuela enfrenta há três anos uma escassez de produtos alimentícios que fez com que diversos itens fossem vendidos no mercado informal, a preços astronômicos. Muitas famílias também tiveram que adaptar suas dietas, já que alguns alimentos como a carne, o leite e o azeite costumam estar em falta e, quando estão disponíveis no mercado regular, enormes filas se formam em frente aos supermercados para comprá-los. 

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. José Antonio Debon

    E o pior de tudo é que o Maduro ainda que que a população crie os coelhos.

    Curtir

  2. Julio Cesar Paes

    será que o bugre maduro e a familia dele vão comer coelho ?

    Curtir

  3. José Antonio Debon

    Será que a Gleisi e o PT vão entrar no programa de criação de coelhos lançado pelo Maduro.

    Curtir

  4. Roberto Copeti

    Pelo andar da carruagem, a Venezuela terá a seguir o PLANO GATO e o PLANO CACHORRO. Só não ocorrerá o PLANO BURRO, já que coloca em risco o próprio Maduro. Ai de ti, Venezuela!

    Curtir

  5. Mas isso está certo, coelho se reproduz rápido, é uma forma de tornar disponível novamente as carnes.
    O governo teria que incentivar fazendeiros e a própria população a cria-lo, mas precisa ter um abatedouro pra matar os coelhos porque nem todo mundo gosta de abater, limpar a carne, tem que ter um abatedouro, mas a ideia é genial sim, os bichos se reproduzem muito rápido. A população que é burra de se apegar só porque é “fofinho” se fosse um bicho feio ninguém ligava, são pessoas superficiais que julgam pela aparência, coelho é comida. Obvio que o governo tem que tornar o país independente dos outros, criar coelhos, cabras e o que mais for possível é boa ideia sim, independente de ideologia. Coelho pode ser criado em fazendas e na cidade pelas próprias pessoas, basta ter um abatedouro em cada cidade pras pessoas mandarem seus coelhos lá que serão mortos em troca de recebem 70% da carne dele, 30% fica de comissão pro açougue. Não importa a ideologia, o povo tem que comer, algo precisa ser feito e essa ideia do coelho é muito boa.

    Curtir

  6. Até me deu vontade de criar coelho.

    Curtir

  7. Tem que criar o Plano Rato.
    Mata a fome dos pobres venezuelanos e ainda promove a higienização política do país.

    Curtir