Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Líder do Brexit escreveu artigo a favor da permanência na UE

O jornal britânico Sunday Times divulgou um artigo escrito por Boris Johnson em fevereiro, onde apontava argumentos contrários ao Brexit

O líder da campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia, Boris Johnson, se posicionou a favor da permanência do país no bloco, em um artigo escrito dois dias antes de declarar apoio ao Brexit, em fevereiro. O texto pró-UE nunca havia sido publicado, até que o jornal britânico Sunday Times teve acesso ao material. Parte da coluna foi divulgada pela publicação nesse domingo.

Ex-prefeito de Londres e atual ministro das Relações Exteriores, Johnson confirmou a autoria do texto, mas alegou que escreveu colunas a favor e contra o Brexit para esclarecer a si mesmo os pontos de vista sobre o tema. Segundo o Sunday Times, o artigo alertava para os riscos de uma eventual saída e sugeria que as contribuições econômicas do país à UE eram um pequeno preço a se pagar para ter acesso a esse amplo mercado.

“Feche os olhos. Segure a respiração. Pense no Reino Unido. Pense no resto da UE. Pense no futuro. Pense no desejo de seus filhos e netos de viverem e trabalharem em outros países europeus, de venderem coisas lá, fazerem amigos e talvez arrumarem um parceiro”, escreveu Johnson. “Pergunte a si mesmo: apesar de todos os defeitos e desapontamentos – você realmente, definitivamente, verdadeiramente quer que o Reino Unido deixe a UE?”

Em entrevista à emissora Sky News, o ministro comentou que nunca escondeu que “estava em dúvida” sobre sua escolha na época, “como muitas pessoas nesse país”. “Também escrevi um longo artigo esmagadoramente a favor da saída do bloco”, afirmou.

A figura carismática de Johnson, já conhecida pelos britânicos, deu credibilidade à ideia do Brexit e ajudou a conquistar a população. A vitória resultou na renúncia do primeiro-ministro David Cameron, substituído por Theresa May. Com a troca de liderança, Johnson recebeu o importante posto de ministro das Relações Exteriores, onde tem influência nas negociações sobre a saída da UE.

(Com Reuters)