Libertados 36 sequestrados pela guerrilha do Peru: fonte oficial

A guerrilha peruana do Sendero Luminoso libertou neste sábado aos 36 funcionários da empresa sueca Skanska e de outra companhia peruana que foram sequestrados na segunda-feira no sudeste do Peru, informou Susano Guillén, tenente-governador de Chubamquiri, pequeno povoado da região de Cuzco.

“Recebemos os 36 trabalhadores que tiveram que caminhar sete horas das montanhas para chegar ao nosso povoado”, disse Guillén, em declarações à rádio RPP.

O tenente-governador explicou que os ex-reféns, todos trabalhadores da construção em uma jazida petrolífera, chegaram a pé após terem sido libertados às 04H00 locais (06H00 de Brasília).

Em Chubamquiri, “eles embarcaram em dois ônibus para se dirigir ao povoado de Kepiashato, distrito de Echarate, província da Convenção, uma rota do narcotráfico na qual a guerrilha os sequestrou no começo da semana”.

As autoridades não revelaram se a empresa sueca pagou os 10 milhões de dólares que exigia – entre outras coisas – a guerrilha para libertar os sequestrados.

Nenhum dos libertados deu declarações.

Uma capitã da polícia morreu na quinta-feira durante operações de busca das forças de segurança, quando membros da guerrilha dispararam contra um helicóptero militar.