Ex-goleiro do Vasco, Andrada é citado em caso de sequestro e assassinato

Buenos Aires, 3 nov (EFE).- O ex-goleiro argentino Edgardo Andrada, que entrou para a história do futebol por sofrer o milésimo gol de Pelé quando jogava pelo Vasco da Gama, foi convocado a depor perante um juiz que investiga o sequestro e assassinato de dois guerrilheiros durante a ditadura argentina.

De acordo com fontes judiciais, o ex-ditador Reynaldo Bignone, último presidente do regime militar que governou a Argentina de 1976 a 1983, também está envolvido no caso.

O juiz Carlos Villafuerte Ruzo deve interrogar o ex-goleiro do Vasco na próxima quarta-feira.

O nome de Andrada como suposto participante do sequestro dos militantes Osvaldo Cambiasso e Eduardo Pereyra Rossi em 1983 foi apresentado à Justiça pelo ex-agente de Inteligência Eduardo Costanzo.

O ex-agente declarou há três anos que o ex-goleiro havia participado da operação ilegal que sequestrou os militantes na cidade de Rosário. Os corpos de Cambiasso e Pereyra Rossi apareceram três dias depois na cidade de Zárate, e o governo ditatorial atribuiu suas mortes a confrontos armados.

Os organismos de direitos humanos de Rosário suspeitavam que Andrada havia colaborado com a ditadura e há muito tempo pediam sua demissão do clube Rosario Central, onde há até poucos dias trabalhava nas categorias de base.

Andrada foi goleiro do Rosário Central de 1960 a 1969, ano em que foi contratado pelo Vasco, onde jogou por sete anos. Além disso, defendeu a seleção argentina em 20 partidas. EFE