Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

E lá vem mais furacão: é a vez de Maria

A tempestade com ventos de 120 quilômetros por hora pode atingir várias ilhas do Caribe - mas, ao menos por enquanto, não exibe a potência do Irma

Um novo furacão de categoria 1, batizado de “Maria“, se formou neste domingo no mar do Caribe. A tempestade se aproxima pelo leste das Pequenas Antilhas e de Porto Rico, que já estão em alerta em razão da chegada do fenômeno meteorológico – e temem que repita os danos causados por Irma, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês).

Maria, que apresenta ventos máximos sustentados de 120 km/h, se dirige rumo às Pequenas Antilhas e a Porto Rico com uma velocidade de 24 km/h.

No boletim das 18h (horário de Brasília), o NHC afirmou que Maria se encontra 225 quilômetros ao leste-nordeste de Barbados e 445 quilômetros ao leste-sudeste de Dominica.

Guadalupe, Dominica, São Cristóvão e Nevis e Monserrat estão sob alerta de furacão, enquanto Martinica, Antígua, Barbuda, Saba e São Eustaquio, e Santa Lúcia estão sob aviso de tempestade tropical.

Muitas destas ilhas sofreram recentemente o impacto do furacão Irma, com casos dramáticos como o de Barbuda, devastada em mais do 90% segundo as autoridades locais, que ainda não terminaram as tarefas de reconstrução.

Maria se move com direção oeste-noroeste e se espera que mantenha este padrão ao longo dos próximos dias. O olho do fenômeno se aproximará das Pequenas Antilhas na noite de segunda-feira, provavelmente como um furacão de categoria maior, segundo o NHC.

Embora o furacão esteja seguindo quase a mesma trajetória do furacão Irma, que atingiu a Flórida – além de Geórgia e Carolina do Sul -, ainda é muito cedo para prever se chegará à costa americana.

Além de Maria, os meteorologistas do NHC continuam a acompanhar o desenvolvimento de outros dois ciclones no Atlântico.

O furacão de categoria 1 José mantém a trajetória em direção norte, a uma velocidade de 15 km/h, e está 335 km/h a sudeste do Cabo Hatteras, na Carolina do Norte.

Enquanto isso, Lee se debilitou nas últimas horas e foi rebaixado a depressão tropical. Ruma em direção oeste a 13 km/h, sem representar uma ameaça para zonas povoadas.

(Com EFE)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. A natureza destruindo a natureza…triste ironia para os ecochatos…

    Curtir