Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dois americanos e um sul-africano são mortos a tiros em centro de treinamento na Jordânia

Um policial jordaniano disparou, aparentemente sem motivos, contra as pessoas na instalação militar. EUA ajudam a Jordânia com o treinamento de agentes de segurança

Um policial jordaniano matou dois americanos e um sul-africano a tiros nesta segunda-feira em uma instalação de treinamento de forças de segurança iraquianas e palestinas financiada pelos Estados Unidos, e depois cometeu suicídio, reporta a emissora CNN. As vítimas faziam parte de um grupo de instrutores para a formação de policiais do próprio país e outros da região. O local foi usado para o treinamento de milhares de agentes iraquianos e líbios na última década.

O jordaniano, aparentemente sem motivos, saiu disparando contra as pessoas no centro de treinamento – que fica em Muaqar, nos arredores do sul da capital Amã – ,disse uma testemunha que pediu anonimato. Outra testemunha anônima declarou que pelo menos três outros agentes americanos teriam sido feridos. A informação não foi confirmada pelas autoridades dos EUA. Os jordanianos são aliados americanos e fazem parte da coalizão criada por Washington para derrotar o Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque, ambos países que fazem fronteira com a Jordânia.

Leia também

EUA podem enviar mais tropas à Síria, informa o Pentágono

Jordânia bombardeia posições do EI em resposta à execução de piloto

O país acolhe várias centenas de treinadores dos EUA que são parte de um programa militar concebido para reforçar as defesas do reino, incluindo a presença de caças de combate F-16 que usam campos aéreos jordanianos para alvejar posições do EI em solo sírio. Mas o papel do reino na guerra contra os terroristas tem causado tensão entre alguns cidadãos, preocupados com a instabilidade em suas divisas e temerosos de que uma atuação maior na campanha possa levar os jihadistas a atacarem seu país.

(Da redação)