Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

China: o fiasco do ônibus futurista que passava sobre os carros

Responsável pelo projeto foi preso por fraude e arrecadação ilegal

Parecia ser a grande promessa para a solução do transporte público nos caos do trânsito das grandes cidades — o ônibus chinês cujo vão passava acima dos carros. Ao que tudo indica, porém, o sonho acabou: 32 pessoas ligadas ao projeto foram presas no último domingo (02) por fraude e arrecadação ilegal, entre elas o criador do projeto, Bai Zhiming, segundo o jornal The New York Times.

O ônibus que trafega sobre os carros chegou a fazer uma viagem-teste inaugural em agosto de 2016, na província de Hebei, no nordeste da China. Com um vão de 2 metros de altura, o Ônibus de Passagem Elevado (TEB, na sigla em inglês) circula sobre trilhos instalados nas vias, o que permite que os carros andem sob o veículo em velocidades diferentes.

Movido a eletricidade, o ônibus de 22 metros de comprimento e 7 de largura tem capacidade para 300 passageiros e atinge a velocidade de 60 km/h.

Na época, o vídeo promocional do veículo se tornou um viral na internet e atraiu investidores do mundo inteiro. Nos meses seguintes, contudo, o modelo foi criticado por suas limitações técnicas e os custos para sua implantação.  Em junho, o “sonho” começou a ser fisicamente desmantelado: os trilhos por onde o ônibus percorria foram retirados e o veículo foi levado a uma garagem.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Um tiro no próprio pé.

    Curtir

  2. Marco Otacílio

    Nem todas as boas idéias são aplicáveis. Que Pena!

    Curtir

  3. Tio Do lanche

    Tipo o bisbus aqui no brasil

    Curtir

  4. Osmar Serrragem

    Quem sabe botavam umas asas e ele voava?

    Curtir

  5. Heraldo Figueiredo

    O ônibus chinês não passava “sobre”, passava acima dos carros.

    Curtir

  6. Jorgeana Câmara Casagrande

    Em nenhum momento a matéria falou que o projeto era inviável, mas sim que os donos do projeto foram presos por corrupção, em outras palavras, onde a corrupção entra, as coisas vão para trás.

    Curtir