Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Caso YPF não afeta relações com A.Latina, diz secretário espanhol no Brasil

São Paulo, 24 abr (EFE).- O secretário de Estado de Cooperação Internacional e para região ibero-americana da Espanha, Jesús Gracia, descartou nesta terça-feira que a desapropriação argentina da YPF afete as relações de seu país com o resto da América Latina, e classificou o Governo brasileiro como ‘confiável’.

‘De nenhuma maneira serão afetadas as relações, pois estamos fazendo um esforço de diálogo, de compreensão e de aumento das relações com todos os países e tudo está funcionando muito bem’, disse Gracia após se reunir com representantes de empresas espanholas em São Paulo, na primeira visita ao Brasil de um alto cargo do Governo presidido por Mariano Rajoy.

Gracia ressaltou que o novo Executivo espanhol recebeu a maioria dos ministros de Relações Exteriores latino-americanos, independente da corrente ideológica de seus Governos.

‘O caso da YPF é isolado, achamos que é um erro do Governo argentino e esperamos que seja corrigido porque não é bom para ninguém, mas isso não afeta em absoluto as relações com a América Latina, que é um continente confiável e onde o investimento espanhol é o mais importante que temos no mundo’, acrescentou.

O Governo da Argentina anunciou no dia 16 de abril um projeto de lei para expropriar 51% das ações de YPF, propriedade do grupo espanhol Repsol.

Para Gracia, a situação do capital espanhol no Brasil é diferente por tratar-se de um país que cumpre com seus compromissos, é estável, tem um sistema institucional claro e firme.

O alto cargo espanhol declarou à Agência Efe que o Brasil ‘é um país com o qual é possível chegar a acordos e negociar, e é uma referência como atrativo de investimentos e como um parceiro confiável em qualquer assunto internacional’.

Gracia comparou o respeito aos investimentos e à legalidade no Brasil com as garantias ao capital espanhol ratificadas recentemente pelos presidentes da Colômbia, Juan Manuel Santos, e do México, Felipe Calderón.

Gracia se referiu também ao endurecimento das normas migratórias para cidadãos espanhóis aplicadas pelo Brasil desde o dia 2 de abril, e manifestou que essa situação não deverá afetar as relações bilaterais.

‘Não deveria afetar e de fato não está afetando, pois se o assunto for tratado com sensibilidade e com bom senso não tem por que afetar, pois o que temos que criar é um clima de confiança entre os dois países para que isto não seja um problema’, disse.

Gracia adiantou que as chancelarias da Espanha e do Brasil terão nos próximos dias uma reunião de alto nível.

‘Queremos conversar do ponto de vista técnico, mas sempre com um espírito construtivo’, expressou após seu encontro com empresários na Câmara Oficial Espanhola de Comércio no Brasil.

Após suas atividades em São Paulo, que incluem uma visita ao Centro Cultural da Espanha, Gracia viajará para Brasília, onde será recebido nesta quarta-feira por autoridades do Governo.

A visita do secretário de Estado ao Brasil é a primeira, e prepara uma série de viagens de funcionários do Governo espanhol de mais alto nível, incluindo o presidente Rajoy, declarou à Efe o embaixador da Espanha, Manuel da Câmara.

Rajoy deve viajar na segunda quinzena de junho ao Rio de Janeiro para participar da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), à qual foi convidado pela presidente, Dilma Rousseff. EFE