Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Campanha anticorrupção proíbe banquetes no Parlamento chinês

Delegados da Assembleia Nacional Popular também foram proibidos de presentear colegas

O governo chinês proibiu que os membros do Parlamento, reunidos nesta semana para uma sessão anual, organizem banquetes e cerimônias requintadas, afirmou nesta terça-feira um funcionário de alto escalão da Casa. A proibição acontece em meio a uma campanha lançada pelo presidente Xi Jinping contra a corrupção e para recuperar a imagem das autoridades diante de vários escândalos.

Os aproximadamente 3.000 delegados da Assembleia Nacional Popular (ANP) também estão proibidos de dar presentes uns aos outros, e foram advertidos que não devem incluir iguarias ou vinhos caros no menu de suas refeições de trabalho, destacou Fu Ying, a porta-voz da ANP.

Leia também:

China: famílias de vítimas de massacre criticam presidente

Ataque em estação de trem deixa 29 mortos na China

China e Taiwan iniciam diálogo após décadas de silêncio

Fu Ying deu as explicações durante uma coletiva de imprensa, antes da abertura, na quarta-feira, da sessão anual da ANP, uma câmara sem poder real que se limita a aprovar as decisões tomadas anteriormente nos círculos mais elevados do Partido Comunista Chinês.

Desde que o presidente Xi Jinping, que assumiu o cargo há um ano, pediu o combate à corrupção em todos os níveis, Pequim faz regularmente apelos por austeridade, condenando os gastos abundantes e os banquetes extravagantes. Em dezembro de 2012, o governo já havia proibido que os militares do país realizassem banquetes luxuosos, com bebida alcoólica e excesso de comida.

(Com agências France-Presse)