Atentado em resort do Mali deixa ao menos dois mortos

Governo afirma que foi um ‘ataque jihadista’ e que conseguiu libertar vinte reféns

Um ataque de um grupo de homens armados ao resort de luxo Le Campement Kangaba, no leste da capital do Mali, Bamako, deixou ao menos dois mortos neste domingo, disse o ministro de Segurança, Salif Traoré, à Agência France-Presse. “Foi um ataque jihadista. As forças especiais do Mali intervieram e vinte reféns foram liberados. Lamentavelmente, há até o momento dois mortos, entre eles uma mulher franco-gabonesa”, disse o ministro. Segundo testemunhas, os agressores entraram no acampamento gritando “Allah akbar” (Allah é grande).

Veja também

Tropas do governo entraram em confronto com os atiradores e a polícia também bloqueou o acesso ao resort, que é muito frequentado por turistas ocidentais. Uma testemunha afirmou à BBC que turistas fugiram do hotel enquanto a polícia trocava tiros com os agressores. “Havia quatro veículos da polícia nacional e soldados franceses em veículos blindados no local”, disse, acrescentando que um helicóptero sobrevoava o resort.

O ataque ocorreu uma semana depois que o Departamento de Estado dos Estados Unidos alertou sobre “possíveis ataques futuros contra as missões diplomáticas ocidentais, outros locais em Bamako que os ocidentais frequentam”.

O Mali se encontra sob estado de emergência há um ano e meio. O último ataque extremista contra estrangeiros foi em março de 2016 e teve como alvo um hotel no qual se encontra a missão europeia encarregada de treinar as forças militares locais.

 (Com AFP e Estadão Conteúdo)