Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após confusão, armada americana se aproxima da Coreia do Norte

Carl Vinson chega ao Mar das Filipinas para exercícios navais com o Japão; mal entendido sobre posição do porta-aviões gerou críticas para Donald Trump

O porta-aviões americano USS Carl Vinson e sua escolta iniciaram neste domingo 23 exercícios navais com o Japão, informou a Marinha dos Estados Unidos, em um momento de crescente tensão regional provocada pelos programas balístico e nuclear da Coreia do Norte.

Os exercícios acontecem no Mar das Filipinas. O porta-aviões americano USS Carl Vinson e sua escolta, dois destróieres lança-mísseis e um cruzeiro também lançador de mísseis, “continuam sua rota para o norte no Pacífico Oeste”.

Uma confusão sobre a posição exata do porta-aviões dominou as notícias no fim da semana passada. O presidente americano Donald Trump engrossou a voz para cima do ditador norte-coreano Kim Jon-un e deu a entender que o Carl Vinson seguia para a península coreana. Na realidade, porém, o porta-aviões ia em direção à Austrália para exercícios programados e, só depois, seguiria para a vizinhança coreana.

O episódio gerou descontentamento entre aliados dos Estados Unidos e até piadas. A armada poderosa, como anunciou Trump, foi apelidada de “armada fantasma” e chamada de fiasco pela imprensa americana.

No sábado 22, o vice-presidente americano, Mike Pence, declarou em Sydney que o porta-aviões chegaria nos próximos dias ao Mar do Japão. Os exercícios navais devem durar vários dias e contar com a presença de dois navios japoneses.

Pence advertiu durante a semana que Washington responderia a qualquer ataque de Pyongyang de maneira “avassaladora e eficaz”.

A Coreia do Norte trabalha na confecção de um míssil balístico intercontinental com capacidade de transportar uma ogiva nuclear até o continente americano. Há várias semanas, analistas especulam sobre um sexto teste nuclear iminente do regime norte-coreano.

Pyongyang endureceu o tom nas últimas semanas, com ameaças de represálias inclusive contra aliados regionais dos Estados Unidos, como Japão e Coreia do Sul, onde estão presentes forças americanas, mas também a Austrália.

Neste domingo 23, o regime Kim ameaçou afundar o porta-aviões americano “com um único ataque”.

(Com a AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Alberto Lopes Lapolli

    Parece mais briga de maricas..só boa boa boa..ainda bem..

    Curtir

  2. Alberto Lopes Lapolli

    Teclado inteligente pra burro..vou repetir parece briga de maricas..só bla bla bla..ainda bem

    Curtir

  3. Tio Do lanche

    O coreano late, mas não morde… É só bater o pé que sai correndo urinando e chorando..

    Curtir

  4. Cláudio Moura

    Na verdade, eles não sabiam onde ficava o mar das Filipinas,
    tiveram que apelar pro Google Maps.

    Curtir

  5. Mendes Mendes

    e para que um pais deveria falar a posição exata de sua armada? imprensa americana esta muito amadora.

    Curtir

  6. Osmar Serrragem

    Os Estados Unidos possuem 11 porta aviões em serviço. E 18 submarinos nucleares, classe Typhon, armados com mísseis balísticos intercontinentais. De qualquer ponto do planeta, ainda que submersos, qualquer um deles pode arrasar a República Popular da Coréia 50 vezes. É bom o ditador pigmeu entender rápido.

    Curtir

  7. Não seria… cruzador… no lugar de …cruzeiro?

    Curtir

  8. Não dá.Está tudo acordado.Coreia do Norte não existirá mais,China assumirá o que sobrar, e em troca, Japão sai ganhando,Taipe e assim por diante.Rússia falida, não mais interessa USA, assim nova geopolítica ressurge com USA/China, ditando o mundo.Nova corrida espacial e ordem econômica sob domínio dos USA/China.

    Curtir