Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Al Qaeda cometeu atentado em Damasco, diz ONU

Ban Ki-moon reconhece que Bashar Assad não respeitou plano de paz

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou nesta sexta-feira acreditar que a Al Qaeda cometeu o atentado suicida de 10 de maio que provocou dezenas de mortes em Damasco. Ban também calculou que até 10.000 pessoas morreram na Síria desde o início da revolta contra o regime e confirmou que o ditador Bashar Assad ainda não implementou o plano de paz do enviado especial da ONU e da Liga Árabe, Kofi Annan.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

“De forma alarmante e surpreendente, há alguns dias aconteceu um enorme ataque terrorista. Penso que a Al Qaeda deve estar por trás do ataque. Isto criou, mais uma vez, sérios problemas”, disse Ban em um evento para a juventude na sede da organização, em Nova York. Pelo menos 55 pessoas morreram e 372 ficaram feridas em 10 de maio em dois ataques suicidas com carros-bomba que espalharam o pânico em um bairro de Damasco. Em um primeiro momento, um grupo jihadista reivindicou o ataque, o que foi desmentido pouco depois.

“Pelo menos 9.000, talvez 10.000 pessoas foram assassinadas durante os últimos 15 meses, quando começou a rebelião. A situação se tornou intolerável”. Para o opositor Observatório Sírio dos Direitos Humanos, 12.000 pessoas morreram na Síria desde o início da rebelião.

Violência – Enquanto isso, as forças do regime sírio bombardearam nesta sexta-feira a cidade de Rastan, na província de Homs, reduto opositor localizado no centro do país, informaram os Comitês de Coordenação Local.

Em comunicado, a rede de ativistas opositores disse que os bombardeios contra as casas se intensificaram desde a manhã de hoje e que as forças sírias empregaram artilharia pesada nessa cidade, alvo de ataques militares há dias.

Protestos – Na província de Deraa, no sul do país, uma manifestação atravessou a cidade de Nuaimeh diante da presença dos observadores da ONU desdobrados na Síria. A missão internacional está encarregada de supervisionar o cumprimento do plano de paz de Annan, que estipula o fim da violência e a retirada dos tanques das cidades, entre outros pontos.

Assim como acontece em todas as sextas-feiras, os opositores saíram às ruas para manifestarem-se em várias partes do país. Na cidade de Aleppo, no norte, o Exército reprimiu um protesto na saída de uma mesquita no bairro de Salah ad-Din, apontaram os Comitês.

(Com agências EFE e France-Presse)