Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Acompanhe a ação policial contra terroristas na França

Dois dias após o ataque que deixou 12 mortos na revista 'Charlie Hebdo', a polícia concluiu a caçada contra os terroristas Cherif e Said Kouachi, que foram cercados e mortos em uma fábrica perto de Paris. Em um supermercado kosher da capital francesa, um cúmplice dos terroristas e 4 reféns também morreram

Paris, 22h41

A emissora France 2 divulgou imagens gravadas por uma testemunha da ação policial no mercado kosher em Paris. O vídeo flagra o momento em que o terrorista é morto e a fuga desesperada de reféns.

Paris, 22h38

O jornal também mencionou as armas encontradas no mercado kosher invadido por Amedy Coulibaly: duas pistolas russas Tokaref, calibre 9mm; dois fuzis Kalashnikov; um colete de operações táticas com munições e uma faca, além de dinamites.

Paris, 22h31

O Le Monde divulgou quais armas foram encontradas no local onde os irmãos Kouachi foram cercados e mortos nesta sexta-feira: 1 lança-projéteis M82; dez granadas de fumaça; dois fuzis Kalashnikov; duas pistolas automáticas

Paris, 21h26

Durante entrevista coletiva, o promotor de Paris François Molins também deu mais informações sobre a operação contra os terroristas. Segundo ele, cinco pessoas permanecem presas, entre elas a mulher de um dos irmãos Kouachi, mortos durante cerco policial. Ele confirmou que a polícia recebeu informações de um funcionário da gráfica onde os terroristas estavam escondidos. O designer Lilian, de 27 anos, ficou escondido embaixo de uma pia, sem que os dois fanáticos soubessem da presença dele. Do local, por telefone, o designer passou valiosas informações para as autoridades. O promotor François Molins ainda revelou que foi encontrado um lançador de granadas escondido nas máquinas de impressão. O dispositivo, conhecido como LPG (lançador propelente de granadas) ou RPG (rocket-propelled grenade, em inglês), costuma ser usado para atingir veículos de combate e estava pronto para ser disparado.

Paris, 20h33

Amedy Coulibaly, o terrorista morto na ação policial em um supermercado na zona leste de Paris, matou quatro reféns antes da invasão da polícia ao local, afirma o promotor de Paris François Molins. De acordo com ele, isso “provavelmente” aconteceu quando Coulibaly entrou no mercado.

Paris, 19h15

Um membro da Al Qaeda no Iêmen disse que o grupo dirigiu o ataque contra o semanário francês Charlie Hebdo, reporta a agência de notícias Associated Press. Segundo ele, a mais perigosa ramificação da rede terrorista, chamada Al Qaeda na Península Arábica (AQPA), atacou a revista “como vingança pela honra” do profeta islâmico Maomé. “A liderança da AQPA dirigiu as operações e escolheram o alvo com cuidado”, afirmou o grupo em comunicado. Said Kouachi, um dos dois irmãos terroristas mortos pela polícia francesa, foi treinado pela Al Qaeda no Iêmen.

Montpellier, 18h07

O homem que fez dois reféns em uma joalheria em Montpellier, no sul da França, não tem ligação com os ataques em Paris. O promotor Christophe Barret disse à agência France-Presse que se trata de um roubo sem relação com os atos terroristas.

Paris, 18h03

O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, informou que os irmãos Kouachi e Amedy Coulibaly “eram conhecidos” dos serviços de inteligência. “Mas nada mostrava que eles pudessem se envolver em um ato desse tipo”, afirmou.

17h55

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, pediu à França que mantenha um nível elevado de segurança em torno das instituições judaicas no país, “mesmo depois que a situação voltar ao normal”.

Paris, 17h46

Nicolas Sarkozy, antecessor do presidente François Hollande, divulgou um comunicado dizendo que uma “guerra foi declarada contra a França”. “A França deve se mostrar forte e firme para garantir a segurança de nossos compatriotas, o respeito pelo nosso estilo de vida e nossa capacidade de assegurar que cada pessoa tenha liberdade de dizer o que pensa”.

Paris, 17h22

O primeiro-ministro francês Manuel Valls disse que a decisão de invadir os dois locais onde estavam os terroristas, a gráfica em Dammartin-en-Goële, e o supermercado na zona leste de Paris, foi uma decisão conjunta dele, do presidente François Hollande, e dos ministros da Justiça, Christiane Taubira, e do Interior, Bernard Cazeneuve.

Knoxville, 17h14

“A França é nossa aliada mais antiga. Os Estados Unidos estão ao lado de vocês [franceses] hoje e estaremos amanhã”, disse o presidente americano Barack Obama, em um evento em Knoxville, no Estado do Tennessee.

Paris, 16h55

Em um pronunciamento na TV, o presidente François Hollande parabenizou os envolvidos nas ações policiais e lamentou pelas vítimas. O chefe de Estado disse também que as ameaças não acabaram, mas “com essa prova, nós sairemos ainda mais fortes. Viva a República, viva a França!”, finalizou. Leia mais sobre o pronunciamento.

Paris, 16h52

A BFMTV também conversou com Cherif Kouachi, que se declarou leal a Anwar al-Aulaqi, cidadão americano de origem árabe que fundou a Al Qaeda na Península Arábica (AQPA), o violento braço iemenita do grupo terrorista. Anwar al-Aulaqi foi morto em 2011 em um ataque de drone.

Paris, 16h42

Amedy Coulibaly, o terrorista morto na ação policial em um supermercado na zona leste de Paris, conversou com a emissora francesa BFMTV nesta sexta e disse que estava agindo em “sincronia” com os irmãos Kouachi – os terroristas que mataram doze pessoas nesta quarta em Paris. Ele também declarou ser do grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Montpellier, 16h32

A imprensa francesa reporta que dois reféns são mantidos por um homem armado em uma joalheria na cidade de Montpellier, no sul da França. Nenhuma ligação com os ataques em Paris foi verificada até o momento.

Paris, 16h26

O ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, afirmou em um breve pronunciamento à imprensa que o país continua em alerta máximo para se precaver de possíveis novos ataques terroristas.

Paris, 16h07

A chancelar alemã Angela Merkel também confirmou presença na manifestação de domingo em Paris.

Paris, 15h57

David Cameron, Mariano Rajoy e Matteo Renzi, respectivamente os primeiros-ministros da Grã-Bretanha, Espanha e Itália, confirmaram presença na manifestação deste domingo em Paris. A chamada “marcha republicana” será uma homenagem às vítimas do terror.

Dammartin-en-Goële, 15h45

A família do designer Lilian, de 27 anos, tentou entrar em contato com ele por horas, sem sucesso, ainda segundo o Figaro. Finalmente, ele teria enviado uma mensagem para o pai: “Estou escondido no primeiro andar. Acho que eles mataram todo mundo. Digam à polícia para intervir”.

Dammartin-en-Goële, 15h42

O homem que estava na fábrica onde os irmãos Kaouchi se entrincheiraram pode não ter sido feito refém. O jornal Le Figaro afirma que os terroristas não sabiam que havia uma pessoa escondida no local.

Paris, 15h35

Há informações não confirmadas na imprensa francesa e americana de que uma cúmplice do terrorista que invadiu o supermercado teria conseguido fugir.

Paris, 15h26

Há pelo menos quatro pessoas gravemente feridas que estavam entre os reféns, reporta a agência France-Presse. Ainda não está claro se eles se feriram antes ou durante a ação policial que eliminou o terrorista.

Dammartin-en-Goële, 15h15

De acordo com o Le Figaro, as autoridades identificaram o refém dos irmãos Kouachi apenas como Lilian, um designer de 27 anos.

Paris, 14h57

Além do terrorista, a imprensa francesa reporta que pelo menos quatro reféns morreram na ação no supermercado.

Paris, 14h55

O terrorista morto na ação do supermercado foi identificado como Amedy Coulibaly, que vinha sendo procurado por ter matado uma policial nesta quinta em Montrouge, no sul de Paris.

Dammartin-en-Goële, 14h50

Um agente da força especial da polícia francesa (GIGN, na sigla em francês) foi levemente ferido na ação.

Dammartin-en-Goële, 14h43

Os irmãos Kouachi saíram do prédio onde estavam acuados atirando seus fuzis AK-47. As forças de segurança que cercavam a gráfica reagiram e os “neutralizaram”, segundo o jornal Le Figaro.

Paris, 14h34

Vários reféns que eram mantidos no supermercado foram libertados, informa a agência France-Presse. Uma ambulância foi vista deixando o local.

Dammartin-en-Goële, 14h30

Homem que havia sido feito refém pelos irmãos Kouachi foi libertado com vida, segundo o Libération.

Paris, 14h28

O terrorista que invadiu o supermercado kosher também foi morto, informou o jornal Le Monde.

Dammartin-en-Goële, 14h17

Os irmãos Kouachi foram mortos, reporta a agência France-Presse.

Paris, 14h19

Explosões e tiros também foram vistas e ouvidas no supermercado onde um terrorista mantém cinco reféns, na zona leste de Paris.

Dammartin-en-Goële, 14h17

​Explosões e tiros foram ouvidos próximo da gráfica onde os irmãos Cherif e Said Kouachi, suspeitos do massacre na revista Charlie Hebdo, haviam se entrincheirado com pelo menos um refém. Não há ainda informações sobre vítimas. A cidade de Dammartin-en-Goële fica a cerca de 40 km de distância ao nordeste de Paris.