Acidente no metrô de Moscou deixa ao menos 21 mortos

Três vagões de um trem descarrilaram devido a uma pane elétrica. Há mais de 100 feridos e pelo menos 50 em estado grave, disseram as autoridades

(Atualizado às 22h00)

Pelo menos 21 pessoas morreram nesta terça-feira e mais de 100 ficaram feridas depois que três vagões de um trem do metrô de Moscou – o principal meio de transporte da capital russa – descarrilaram, segundo as últimas informações da Prefeitura da cidade. Mais de cem pessoas ficaram feridas, pelo menos cinquenta em estado grave.

O acidente aconteceu no trecho entre as estações Slavianski Bulvar e Park Pobedy, no oeste da cidade. A estação de Park Pobedy é a mais profunda do sistema de metrô de Moscou. Ela fica a 84 metros de profundidade, o que tornou o serviço de resgate particularmente difícil.

Cerca de vinte ambulâncias e oito helicópteros chegaram até a estação Slavianski Bulvar, a mais próxima do local onde aconteceu o descarrilamento e de onde foram retiradas mais de 350 pessoas. “Um dos vagões onde havia cerca de vinte pessoas ficou seriamente danificado”, disse uma fonte policial citada pela agência russa RIA Novosti. Mais de 1.100 pessoas tiveram de sair do trem, e as autoridades organizaram o serviço de ônibus para transportar os passageiros entre as estações afetadas pelo acidente.

Leia também:

Putin se encontra com Fidel Castro em início de viagem pela América Latina

Moscou acusa EUA de “sequestrar” hacker russo

Investigadores verificam se houve falha em um dos vagões ou se foram os trilhos que apresentaram defeito. O porta-voz do órgão russo responsável pelas investigações, Vladimir Markin, afirmou que a suspeita informada anteriormente pelas autoridades, de que uma falha no sistema de energia tivesse causado uma parada abrupta do trem, não procede.

Os aeroportos da capital russa e o sistema de transporte já foram alvo de diversos ataques terroristas nas últimas duas décadas, mas autoridades disseram que o descarrilamento desta terça-feira parece ter sido um acidente. O ministro de Situações Emergenciais, Vladimir Puchkov, declarou que um ataque terrorista não está sendo considerado.

O acidente de hoje é o mais grave no metrô de Moscou no último ano. No dia 5 de junho de 2013 um incêndio entre as estações centrais Biblioteka Lenina e Okhotnyi Riad obrigou a evacuação de mais de 4.500 passageiros.

(Com agência EFE e Estadão Conteúdo)