Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A arma das mulheres turcas contra vice-premiê: sorrisos na internet

Bülent Arinc disse que, para proteger valores morais, mulher não deve rir em público. A reação foi imediata, com muitas risadas pelas redes sociais

O vice-primeiro-ministro da Turquia, Bülent Arinc, fez um comentário no mínimo infeliz ao defender que mulheres não deveriam rir em público. Um dos fundadores do governista Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP), do premiê Recep Erdogan, o político deu a declaração durante um discurso sobre o “declínio moral” na sociedade turca. “A mulher deve ter pureza… Ela não deve rir na frente de todos e não deve ser convidativa em seu comportamento. Ela deve proteger sua honra”, disse Arinc, que também criticou as novelas por “promoverem a decadência”.

O comentário – risível, diga-se – provocou uma série de manifestações nas redes sociais, com milhares de mulheres publicando fotos suas rindo ou sorrindo em perfis do Instagram e do Twitter. A escritora e comentarista política Ece Temelkuran foi uma das primeiras a postar uma imagem sorrindo e encorajar outras mulheres a fazerem o mesmo. “Esta foi uma declaração extremamente ultrajante e conservadora”, disse. “Toda minha linha do tempo é repleta de mulheres rindo – o que é extraordinário”, afirmou, em entrevista à rede britânica BBC.

Opositores reclamam da interferência cada vez maior do governo na vida privada dos cidadãos. Ao longo de mais de uma década no poder, Erdogan promoveu uma islamização da Turquia, por inclinação pessoal – já que o premiê sempre foi um muçulmano fortemente conservador – e também para satisfazer a parcela mais religiosa da população, maioria nas áreas rurais e público importante para as eleições. O premiê é favorito para se tornar o primeiro presidente eleito diretamente da Turquia, um país predominantemente muçulmano. O pleito está marcado para o dia 10 de agosto.

Leia também:

Erdogan derruba veto a lenço islâmico em órgãos públicos

Turquia limita venda de bebidas alcoólicas

Melda Onur, uma parlamentar do principal partido de oposição da Turquia, o CHP, disse no Twitter que os comentários de Arinc classificam risadas como um ato desonroso e deixam as mulheres sujeitas à violência. Um opositor que enfrentará Erdogan na disputa da presidência, Ekmeleddin Ihsanoglu aproveitou a maré contra o vice-premiê para se solidarizar com as mulheres e tuitou: “Mais do que qualquer outra coisa, nosso país precisa que as mulheres riam e ouçam o riso alegre de todos”.

Defesa – Arinc argumentou que seus comentários foram publicados fora de contexto e reclamou que apenas uma parte de seu discurso chamou a atenção. Ele afirma ter aconselhado homens e mulheres a adotarem “comportamentos éticos”. “Eu acredito que fiz um discurso útil”, disse, segundo o jornal Hurriyet. “Se eu tivesse apenas dito que as mulheres não devem rir, então eu teria feito algo irracional. Mas o meu discurso foi sobre boas maneiras e preceitos morais”.

(Com agência Reuters)