Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Uruguaio acusa Evra de ‘não ter orgulho por ser negro’

O volante uruguaio Alvaro Pereira, do Porto, defendeu seu compatriota Luis Suárez, suspenso por oito partidas devido a insultos racistas, ao acusar a vítima das ofensas, o lateral francês Patrice Evra, de ‘não ter orgulho por ser negro’, nesta sexta-feira em entrevista à radio Sport 890.

Suárez, atacante do Liverpool, foi punido pela Federação Inglesa por ter chamado Evra, do Manchester United, de ‘negrito’ repetidas vezes durante uma partida entre as duas equipes, no dia 15 de outubro.

“Luis é uma tremenda pessoa, eu o conheço muito bem, seria incapaz de fazer qualquer comentário racista”, comentou Pereira, jogador negro como Evra, que argumenta que as palavras usadas por Suárez não são consideradas ofensivas no seu país.

“Evra tem complexo, não tem orgulho por ser negro. Já eu estou muito orgulhoso pela minha cor de pele. Meus companheiros me chamam de negro o tempo todo e não tenho nenhum problema com isso. É lógico que pode ser usado de forma ruim, mas de qualquer forma, eu prefiro rir disso, não me importa”, explicou.

“Ele armou um circo bárbaro. Imaginem se ele jogasse na América do Sul, ele teria que denunciar todo mundo. Aqui, usamos o termo ‘negro’ carinhosamente, até com os brancos. Às vezes me chamam de ‘negro de merda’ mas nem tenho certeza que isso seja realmente racismo”, opinou.

“Além disso, tenho certeza que o Manchester United está manipulando Evra para tirar uma vantagem esportiva sobre o Liverpool com a suspensão do seu melhor jogador. Isso é muito triste para o futebol. Evra tem um problema por ser negro, é só isso”, alfinetou.

Apesar de amenizar este caso, Pereira admitiu que o racismo existe na Europa. “O camaronês Samuel Eto’o e o brasileiro Roberto Carlos foram vítimas de racismo quando torcedores jogaram cascas de banana desde as arquibancadas. É uma situação diferente e, neste caso, é difícil tolerar”, completou.