Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tarallo usa amistosos para testar potencial do Brasil

Por AE

Melbourne – Medalhista em duas das três últimas Olimpíadas, o basquete feminino brasileiro que saber o seu real potencial de bom desempenho nos Jogos Olímpicos de Londres. No Mundial de 2010, a seleção ficou num decepcionante nono lugar, mas de lá para cá uma nova geração chegou, liderada por Damiris. Por isso é tão importante a série de amistosos contra a Austrália, a partir deste domingo, em Melbourne.

“Vamos ter a oportunidade de enfrentar uma equipe de nível olímpico, e será ótimo até para sabermos em que ponto a equipe se encontra. Vamos continuar trabalhando e aperfeiçoando o que já foi treinado, além de corrigir e definir algumas situações dentro da equipe”, explicou o técnico Luís Cláudio Tarallo.

O discurso é compartilhado pela pivô Nádia. “Esses jogos na Austrália vão nos dar mais experiência para chegarmos no auge em Londres. São duelos que teremos que colocar tudo que já treinamos em prática, além de usarmos para avaliação. Sempre são duelos importantes para termos ritmo de jogo.”

O primeiro amistoso acontece neste domingo. Depois, Austrália e Brasil se enfrentam na terça e na quinta-feira. Os dois times vão se reencontrar já na fase de grupos da Olimpíada, uma vez que ambos estão no Grupo B, com Grã-Bretanha, Rússia e dois times que vierem do Pré-Olímpico Mundial.

Até lá, porém, a seleção brasileira faz mais seis amistosos. Pega Cuba duas vezes em Foz do Iguaçu, enfrenta os EUA fora de casa e, na França, joga um torneio contra China, França e novamente a Austrália.