São Paulo obtém alvará para iniciar reformas no Morumbi

O São Paulo anunciou a modernização do Morumbi em uma cerimônia pomposa realizada em dezembro do ano passado, mas o alvará da Prefeitura para o início das obras só foi obtido no início desta semana.

O clube está autorizado a iniciar a instalação de uma cobertura que deve demorar 18 meses para ficar pronta. O projeto prevê também a construção de um hotel ao lado do estádio, o que ainda depende de aprovação na Câmara.

‘Podemos começar imediatamente as obras. De acordo com o presidente Juvenal, a obra começará ainda em abril’, avisou o vice-presidente do Tricolor, João Paulo de Jesus Lopes. ‘A cobertura faz parte do processo de reforma para elevar o conforto no Morumbi. Também substituiremos bancos e poltronas, as portas de acesso e os sanitários, entre outras medidas’.

Mesmo com as obras em andamento, o Morumbi deve continuar recebendo jogos de futebol. ‘Alguns setores podem ser interditados, mas as obras mais demoradas, que possam ocupar partes maiores do estádio, serão realizadas durante as férias do time, para não prejudicar a prática do futebol’, acrescentou Jesus Lopes.

A nova arena de shows para 25 mil pessoas também não prejudicará a realização de jogos, pois não ocupará o gramado. É um dos trunfos dos dirigentes para que os lucros com o Morumbi sejam ainda maiores. Como o time de futebol ainda não encontrou um patrocinados máster (peito e costas do uniforme), o estádio é a principal fonte de receitas do São Paulo.

‘Com a arena para 25 mil pessoas, poderemos receber shows de porte médio sem o desgaste da grama e a interrupção da prática do futebol. Nossa estimativa é de que possamos receber 40 shows por ano’, falou o vice-presidente. ‘O Morumbi é o único estádio superavitário. No ano passado, o superávit foi de R$ 20 milhões’.

A reforma está a cargo da empreiteira Andrade Gutierrez, que receberá recursos de R$ 300 milhões a R$ 400 milhões de investidores mantidos em sigilo. A recompensa é o direito de explorar comercialmente a arena de shows (que terá seus naming rights vendidos) e o hotel por um prazo ainda não estabelecido, mediante também ao pagamento de royalties.