Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Santos joga mal e é derrotado pelo Vélez, mas confronto segue aberto

Redação Central, 17 mai (EFE).- Com Neymar apagado e Paulo Henrique Ganso longe de seus melhores dias, o Santos foi derrotado pelo Vélez Sarsfield por 1 a 0 nesta quinta-feira, em partida disputada no Estádio José Amalfitani, em Buenos Aires, e saiu atrás no confronto que decidirá um semifinalista da Taça Libertadores.

O gol da merecida vitória do time argentino foi marcado por Mauro Obolo, de cabeça, aos 35 minutos do primeiro tempo.

A partida da volta acontecerá na próxima quinta-feira, desta vez na Vila Belmiro. Para se classificar, o Santos precisará vencer por dois gols de diferença, uma vez que qualquer triunfo por apenas um gol favorecerá o time argentino se esse marcar fora de casa. Vitória santista por1 a 0 levará a decisão para os pênaltis.

Se o Santos passar de fase, haverá confronto brasileiro na semifinal, contra Vasco ou Corinthians. Na primeira partida entre os dois, disputada no Rio de Janeiro, houve empate por 0 a 0.

O jogo desta noite começou estudado e sem nenhuma oportunidade de gol. A primeira boa chegada foi do Vélez, aos 11 minutos, quando Martínez bateu fraco de fora da área e Rafael fez defesa segura. Quatro minutos depois, foi a vez de Cabral arriscar de longe, mas desta vez a bola foi diretamente para fora.

Ainda que não assustasse, o time da casa ocupava mais o seu campo de ataque. Enquanto isso, Neymar era bem marcado e pouco tocava na bola. Com Paulo Henrique Ganso também sumido, o Santos não conseguia fazer o seu jogo fluir.

Na primeira jogada dos dois craques, aos 19 minutos, Ganso ficou com sobra na entrada da área e tentou encobrir Barovero, que conseguiu defender. Indolente, o Santos assistia ao Vélez jogar.

Empurrado por sua barulhenta torcida, o time argentino aproveitou a apatia do Peixe e avançou ainda mais. Aos 30 e 31 minutos, Rafael teve de trabalhar para evitar o gol. No primeiro dos lances, Martínez chutou já de dentro da área e obrigou o jovem goleiro a fazer boa defesa. O roteiro se repetiu na sequência, mas desta vez em batida cruzada de Fernández.

Quatro minutos depois, Rafael só apareceu para buscar a bola na rede. Após cruzamento de Papa da esquerda, Obolo se antecipou à zaga santista e desviou, matando o goleiro do Peixe.

O gol não teve qualquer efeito sobre o Santos, que continuou sem esboçar qualquer reação no restante do primeiro tempo.

Na volta do intervalo, o time brasileiro deu a impressão de ter acordado quando Elano, logo aos 4 minutos, cobrou escanteio fechado e por pouco não surpreendeu Bavonero. Esse lance, no entanto, foi isolado.

O Vélez, por sua vez, recuperou-se do susto rapidamente e voltou a comandar as ações. Aos 14 minutos, o time da casa quase chegou ao segundo. Após cobrança de escanteio da direita, Obolo subiu sozinho e testou com força rente à trave de Rafael.

Três minutos depois, Elano teve ótima falta para cobrar, mas bateu fraco e facilitou a vida do goleiro argentino.

A resposta do Vélez aconteceu aos 21, quando Fernández acertou belo chute de primeira e obrigou Rafael a intervir.

Mesmo consciente da importância de marcar ao menos um gol na casa do adversário, o Santos se ressentia da fraca atuação de seus maiores astros e não conseguia criar nenhuma jogada de perigo.

Com o passar do tempo, o Vélez reduziu o ritmo a fim de manter a vantagem sem levar gols. Ainda assim, a equipe argentina seguia com mais presença ofensiva. Aos 32, Fernández arriscou de longe e errou o alvo. Sete minutos depois, foi a vez de Cabral bater forte e parar em Rafael.

Aos 42, no último lance mais agudo da partida, Bella chutou forte de longe e a bola tirou tinta do travessão.

Diante de sua sofrível exibição, o 1 a 0 pode até ser comemorado pelo Santos, que em casa tem completa possibilidade de dar o troco e seguir em busca do tetracampeonato da Libertadores.

Ficha técnica:.

Vélez Sarsfield: Marcelo Barovero; Gino Peruzzi, Fabián Cubero, Sebastián Domínguez e Emiliano Papa; Augusto Fernández, Francisco Cerro (Canteros), Víctor Zapata e Ariel Cabral (Bella); Juan Manuel Martínez (Ramírez) e Mauro Obolo. Técnico: Ricardo Gareca.

Santos: Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Elano (Felipe Anderson) e Ganso; Neymar e Alan Kardec (Borges). Técnico: Muricy Ramalho.

Gol: Obolo (Vélez Sarsfield).

Cartões amarelos: Francisco Cerro, Papa e Peruzzi (Vélez Sarsfield); Rafael, Juan, Edu Dracena, Adriano e Neymar (Santos).

Arbitragem: Carlos Amarilla (Paraguai), auxiliado por seus compatriotas Rodney Aquino e Darío Gaona. EFE