Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

República Tcheca derrota Grécia e se mantém viva na Eurocopa

A seleção da República Tcheca se manteve viva na Eurocopa-2012, ao derrotar a Grécia por 2 a 1, nesta terça-feira em Wroclaw, pela segunda rodada do grupo A da competição.

Ansiosos para se recuperar da goleada de 4 a 1 que sofreram para a Rússia na estreia, os tchecos tiveram um início de jogo arrasador, com dois gols marcados em menos de seis minutos.

Petr Jiracek abriu o placar aos 3 e Vaclav Pilar ampliou aos 6. O atacante Fanis Gekas diminuiu aos 8 do segundo tempo após uma falha do goleiro Petr Cech, mas de nada adiantou.

“Fizemos um excelente primeiro tempo, dominamos a partida e fizemos dois gols logo no início. Infelizmente, foi diferente no segundo tempo, quando tomamos este gol estúpido”, comentou.

Com a vitória, os tchecos lideram a chave com os mesmos três pontos que a Rússia, que enfrentam mais tarde a co-anfitriã Polônia.

Já os gregos continuam com apenas um ponto, que conseguiram ao empatar em 1 a 1 com os poloneses na estreia.

Na terceira e última rodada, no próximo sábado a República Tcheca tentará obter mais uma vitória na competição contra a Polônia, enquanto a Grécia enfrentará a Rússia.

Nesta terça-feira, os comandados do técnico tcheco Michal Bilak partiram para cima logo no pontapé inicial da partida e Jiracek abriu o placar com três minutos de bola rolando marcando o quarto gol mais rápido na história da Eurocopa após receber um ótimo lançamento de Tomas Hubschaman.

A Grécia mal teve tempo de reagir. Três minutos depois, o próprio Jiracek iniciou a jogada para o segundo gol tcheco ao tocar na direita para Theodor Gebre Selassie, que foi à linha de fundo e recuou para Pilar empurrar a bola para as redes.

Com dois gols marcados desde o início da competição, Pilar se igualou ao russo Alan Dzagoev, ao croata Mario Mandzukic e ao ucraniano Andrei Shevchenko na artilharia.

Para piorar a situação da seleção grega, o goleiro Costas Chalkias saiu de campo lesionado aos 22, e foi substituído por Michalis Sifakis.

O goleiro do Aris de Salônica não demorou para se destacar. Aos 29, fez uma defesa espetacular em chute rasteiro de longa de longa distância de Tomas Rosicky, do Arsenal.

Aos 41, os gregos, que já tinham reclamado muito da arbitragem na estreia, se sentiram prejudicados novamente quando o juiz anulou um gol de Giorgos Fotakis por impedimento.

Os esforços da Grécia foram finalmente recompensados aos 8 do segundo tempo, numa falha inacreditável de Petr Cech. Samaras fez um cruzamento aparentemente sem perigo, mas o goleiro do Chelsea se atrapalhou com um zagueiro e soltou a bola, que sobrou para Gekas diminuir o placar.

Os gregos partiram para cima para buscar o empate, mas os tchecos conseguiram segurar o resultado.

“Lutamos até o fim para voltar na partida, mas não deu certo. Agora, temos que pensar no próximo jogo, ainda temos esperanças”, declarou o técnico português da Grécia, Fernando Santos.