Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Reformado para 2014, Maracanã fechará antes dos Jogos

Estádio será usado para ensaiar as cerimônias de abertura, encerramento, premiação. Por seis meses, o futebol voltará para o Engenhão

É bom os clubes cariocas se acostumarem a ficar sem o Maracanã por longos períodos. A obra de remodelação iniciada em agosto passado, e prevista para terminar apenas no fim de 2012, não será o único motivo pelo qual as partidas de futebol serão transferidas para o Engenhão. Depois de modernizado para a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014, o estádio fechará novamente no primeiro semestre de 2016. Dessa vez, por causa das Olimpíadas.

Demolição do anel superior do Maracanã: novas arquibancadas ficarão niveladas, para favorecer a visibilidade

Demolição do anel superior do Maracanã: novas arquibancadas ficarão niveladas, para favorecer a visibilidade (VEJA)

O Comitê Rio 2016 precisará do Maracanã por pelo menos seis meses, para os ensaios da grande abertura das Olimpíadas do Rio, carro-chefe entre as diversas cerimônias que cercam os Jogos: as de premiação, de encerramento, de boas-vindas para as delegações na Vila Olímpica, de revezamento de tocha, e de animação das torcidas durante os jogos. Haverá ainda os chamados Live Sites, semelhantes aos Fan Fests das últimas Copas do Mundo – eventos de apoio em diversos lugares para animar a torcida, com telões, música, comida e bebida. No total, está previsto um gasto de 125 milhões de dólares apenas com as cerimônias.

“Na nossa candidatura, apresentamos um compromisso de 15 Live Sites internacionais, pelo menos dois por continente. Mas estamos esperando a avaliação do Comitê Olímpico Internacional (COI). Além disso, haverá vários Live Sites no Brasil”, afirmou Leonardo Gryner, diretor geral dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. Gryner anunciou que, em março, sairá o edital de licitação para a escolha da empresa que fará os projetos executivos de eventos relacionados aos Jogos. A licitação será aberta para empresas nacionais e estrangeiras.

A intenção dos organizadores é estender a todos os esportes o tipo de animação de torcida que já é feito no vôlei de praia. “Nós, do Brasil, temos uma maneira de animar o público que é só nossa, de levar o público para o esporte. A partir de 2013, a equipe de Cerimônias do Comitê vai trabalhar com as 28 federações internacionais para desenvolver um projeto de engajamento do público. A ideia é que todos os esportes sejam como o vôlei de praia”, disse Gryner.