Patrocinadores tradicionais da Fifa lamentam o escândalo

Coca-Cola e Adidas acham que as denúncias mancharam imagem do futebol

“Esperamos que a Fifa resolva a situação de maneira rápida e clara”, disse o porta-voz da Coca-Cola

As placas da Coca-Cola e da Adidas aparecem há décadas nos torneios promovidos pela Fifa. Patrocinadoras mais tradicionais da entidade, as empresas são as principais marcas expostas na Copa do Mundo, por exemplo. Mas o escândalo de corrupção que explodiu nas últimas semanas incomodou as companhias – que lamentaram, nesta terça-feira, ver a Fifa envolvida em denúncias tão graves e abrangentes.

A Coca-Cola, patrocinadora da Copa desde 1978, disse considerar as acusações de corrupção na Fifa “penosas” e “ruins para o esporte”. “Esperamos que a Fifa resolva a situação de maneira rápida e clara”, disse o porta-voz da Coca-Cola, Petro Kacur, na véspera da eleição presidencial na entidade. Depois do escândalo, Joseph Blatter é candidato único no pleito – Mohammed bin Hammam desistiu de concorrer.

A empresa alemã de artigos esportivos Adidas também disse temer pelo impacto negativo das denúncias. “As repetidas acusações de corrupção não são boas nem para a imagem do futebol nem para a própria Fifa”, comentou nesta terça-feira um porta-voz da marca. A Adidas disse, porém, que o caso “não compromete a cooperação com a Fifa”. A Adidas fabrica a bola oficial da Copa e outros produtos para a Fifa.

(Com agência France-Presse)