Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Loco Abreu liga sinal de alerta em São Januário

Vivendo má fase até o último fim de semana, o atacante Loco Abreu parece ter dado um basta nas críticas ao marcar três gols na vitória por 4 a 2 sobre o Bangu. O feito foi muito comemorado pela torcida do Botafogo, mas também repercutiu em São Januário, junto ao Vasco que, no próximo domingo, às 16 horas (de Brasília), enfrenta o Glorioso na final da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, no Engenhão. O uruguaio é motivo de preocupação para os vascaínos.

‘Sabemos que o Botafogo é muito forte na jogada aérea e isso realmente é uma preocupação para nós, que vamos precisar estar atentos para evitar esse perigo. O Loco Abreu é um atacante que pode fazer a diferença se a bola chegar até ele. Mas as jogadas do Botafogo não se limitam a ele. Os zagueiros também aparecem bem nas bolas paradas e os meias se movimentam bastante ‘, disse o técnico do Vasco, Cristóvão Borges.

Autor do primeiro gol cruzmaltino no triunfo por 3 a 2 diante do Flamengo, no último domingo, o atacante Eder Luis também demonstra preocupação com o camisa 13 adversário.

‘O Loco Abreu é um jogador muito perigoso e, pelo visto, voltou a fazer diferença. Com ele bem, o Botafogo deixa de jogar apenas por baixo e ganha uma ótima opção por cima. Mais uma preocupação para o Vasco. O time deles tem entrosamento e joga junto desde o ano passado’, analisou o atleta, que teve sua linha de raciocínio seguida pelo volante Nilton.

‘O Botafogo tem um bom time, está invicto na temporada e tem jogadores que podem fazer a diferença. Não apenas o Loco Abreu, que já conhecemos todo o potencial, principalmente nas jogadas de bola aérea. Teremos que nos preocupar com ele, com os demais atacantes, com os meias que são rápidos e habilidosos e com os atletas que chegam de trás para surpreender. Porém, o Vasco também conta com grandes jogadores e pode criar sérios problemas nesta decisão ‘, afirmou o volante.

O atual campeão da Copa do Brasil já sentiu o efeito Loco Abreu em uma decisão. Foi na final da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, de 2010. Naquela ocasião o cruzmaltino entrou em campo como favorito, pois goleou o rival por 6 a 0 na etapa de classificação. No entanto, no jogo decisivo, o glorioso ganhou por 2 a 0 e o uruguaio deixou o seu em uma cobrança de pênalti. O zagueiro Fábio Ferreira, de cabeça, abriu o marcador para os botafoguenses. Neste ano, as duas equipes se enfrentaram na Taça Rio e o Botafogo ganhou por 3 a 1.

Em relação ao time que vai a campo, Cristóvão só definirá a equipe nos últimos treinos da semana. Entretanto, o treinador sabe que continuará podendo contar com o lateral direito Fagner, com o zagueiro Rodolfo e com os volantes Fellipe Bastos e Eduardo Costa, todos protegidos por um efeito suspensivo após serem condenados pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-RJ) por conta dos tumultos na derrota de 2 a 1 para o Flamengo pela fase de classificação da Taça Rio. Como o julgamento dos atletas não acontecerá nesta semana, eles seguem liberados para atuar.

Após a folga de segunda-feira, o elenco se reapresentou nesta terça-feira para a realização de trabalho regenerativo. Nesta quarta-feira, os atletas trabalharão na parte da manhã.

Fora de campo, a diretoria iniciou entendimentos com o Benfica para acertar a permanência de Fellipe Bastos e de Éder Luis, ambos emprestados até 30 de junho e com os direitos federativos ligados ao clube português. Os vascaínos estão estudando uma engenharia financeira a fim de apresentar aos portugueses uma proposta de aquisição em definitivo dos dois atletas, uma vez que o Benfica não aceita prorrogar o empréstimo. O vice-presidente de futebol, José Hamilton Mandarino, está à frente das negociações, contando sempre com o aval do presidente Roberto Dinamite.

‘Temos interessa na permanência dos atletas e estamos otimistas. O relacionamento com o Benfica é o melhor possível e estou confiante em um desfecho favorável ‘, encerrou Mandarino.