Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Leão parabeniza dispensados pela diretoria: todos campeões estaduais

Emerson Leão sempre ressalta que, ao ser contratado em outubro, ouviu que sua função era apenas treinar o time. Cabe apenas à diretoria definir quem é negociado e contratado. O técnico, contudo, já mandou recado avisando que ‘inteligência não ocupa espaço’. E nesta sexta-feira resolveu parabenizar quem deixou o elenco: todos que trocaram o São Paulo por outro clube brasileiro foram campeões estaduais.

‘Quero parabenizar todos que saíram. Estavam preparados e foram campeões regionais. Isso significa que tinham qualidade também’, apontou o chefe, falando de Juan, lateral esquerdo campeão paulista pelo Santos, Jean, volante vencedor do Carioca pelo Fluminense, Cleber Santana, meio-campista que conquistou o Catarinense pelo Avaí (e foi eleito o melhor jogador do campeonato), e Dagoberto, campeão gaúcho pelo Inter.

Dos que saíram para equipes do Brasil, Leão projetava escalar Jean como titular na lateral direita na temporada, assim como Dagoberto seguiria no ataque, e lamenta por não ter nem testado Cleber Santana ou dar outras oportunidades a Juan, emprestado de graça a um rival que o eliminou do Campeonato Paulista. Ele também gostaria de ficar com Carlinhos Paraíba, emprestado ao japonês Omiya Ardija, Marlos, que está no ucraniano Metalista, e Xandão, negociado com o Sporting Lisboa, de Portugal.

Em meio ao sucesso de quem os dirigentes dispensaram, o técnico segue pedindo reposição, ao menos, para a saída de Denilson. O volante já anunciou que volta para o Arsenal no fim de seu empréstimo, em 30 de junho. Para ressaltar a importância do camisa 15, Leão o compara a um astro premiado do cinema.

‘Temos um atleta importantíssimo hoje, talvez um dos mais importantes entre os que jogam como titular, que é o Denilson. É pouco comentado, mas faz um trabalho excepcional. Se fosse coadjuvante, já teria ganhado o Oscar. Mas no dia 30 (de junho) terá seu contrato finalizado com nosso clube. Tenho que pensar em uma reposição’, avisou.

Para o lugar de Denilson, o comandante não pode contar com Wellington e Fabrício, ainda vetados pelos médicos, e não demonstra entusiasmo com Rodrigo Caio ou João Felipe, jogadores formados na base do clube. O ex-goleiro ainda pede mais opções em outros setores.

O treinador até admite que a reformulação promovida pelo presidente Juvenal Juvêncio melhorou o elenco. Mas, ao saber que o vice-presidente de futebol João Paulo de Jesus Lopes descartou publicamente contratações e reiterou que só a diretoria decidirá quando elas serão necessárias, Leão avisa que tentará lidar com as opções que tem. ‘Se houver a possibilidade de reposição de peças, ótimo. Mas vamos com tudo que temos.’

Como lamentação para o técnico, o fato de ter certeza só de reforços vindos do departamento médico. ‘Todos gostariam de iniciar todos os campeonatos com seus quadros definidos, não só o primeiro, mas a substituição desse primeiro. Infelizmente, por força das circunstâncias, no São Paulo não vamos contar no início com alguns que passaram por cirurgia. Esperamos contar com eles no meio ou no final’, comentou o chefe que, além de Wellington e Fabrício, também não pode contar ainda com Rogério Ceni e Cañete.