Kevin Durant: de ‘traidor’ a campeão e MVP das finais da NBA

Ala justificou sua opção de deixar o Oklahoma para reforçar o poderoso Golden State com atuações espetaculares e o título da NBA

Quando Kevin Durant anunciou que deixaria o Oklahoma City Thunder para se juntar ao Golden State Warriors, ao final da última temporada, os fãs do time californiano comemoraram a contratação de um astro, enquanto os torcedores dos outros times se revoltaram, achando que aquilo poderia causar um forte desequilíbrio na liga. Foi exatamente isso que aconteceu: com Durant inspirado, ao lado de craques como Stephen Curry e Draymond Green, o Golden State atropelou os rivais e conquistou o título na madrugada desta terça-feira ao vencer o Cleveland Cavaliers por 129 a 120 e fechar a série em 4 a 1. De quebra, Durant foi eleito o MVP (jogador mais valioso) da temporada e celebrou seu primeiro título.

A ida de Durant para o Golden State foi comparada à mudança de LeBron James, que em 2010, depois de sete anos de frustrações, decidiu deixar o Cleveland Cavaliers para ter chances reais de título pelo Miami Heat. A aposta deu certo do ponto de vista esportivo: LeBron James chegou em quatro finais e venceu duas pelo Miami Heat. Mas a “traição” ao Cleveland criou animosidade com os demais torcedores, que o acusaram de formar uma “panela” e desequilibrar a liga, exatamente o que acontece agora com Kevin Durant.

O ala do Golden State, porém, parece não se importar. Ao final da partida desta terça, da qual foi cestinha com 39 pontos, Durant se emocionou ao abraçar a mãe, sua maior incentivadora, e definiu sua nova equipe como “modelo”.

“É um grupo excepcional de jogadores, uma grande comunidade, ginásio e público”, declarou Durant. “Sempre soube que não tinha errado com a decisão que tomei, sobretudo porque cheguei a um ambiente único para jogar basquete. Agora tenho o dobro de satisfação porque também pude contribuir para um título da liga”.

Durant foi eleito o MVP das finais, depois de conseguir uma média de 35 pontos nos cinco jogos disputados e decidir quase todas as partidas com cestas nos momentos finais. Com números como esses, Kevin Durant superou o igualmente inspirado LeBron James, que, apesar de derrotado, teve média de “triple-double” (dois dígitos em três fundamentos). Ele, porém, não conseguiu quebrar a escrita de 1969, quando, pela única vez, um atleta derrotado na decisão foi eleito MVP. Na ocasião Jerry West, do Los Angeles Lakers, foi o MVP apesar da derrota para o Boston Celtics.

Os Warriors fecharam a série com marca de 4-1 e incríveis 16-1 em todo o playoff, algo que nenhuma equipe tinha conseguido até agora nem tampouco a sequência de 15-0 de invencibilidade até a quarta partida das Finais. “Tive todo o apoio dos companheiros e do grande jogo que fizemos. Por isso o triunfo foi de todos para completar uma grande temporada”.

(Com Estadão Conteúdo e EFE)