José Aldo: ‘Seria mais valorizado se fosse um bad boy’

Lutador brasileiro reafirma desejo de se aposentar, enquanto Dana White garante que encontrará uma solução para a situação

José Aldo não desistiu da aposentadoria e o presidente do UFC Dana White não desistiu de tentar convencer o brasileiro a mudar de ideia. O lutador de 30 anos reafirmou neste domingo a sua revolta com a escolha do UFC de colocar o duelo entre o americano Eddie Álvarez e o irlandês Conor McGregor, valendo o cinturão dos leves, como luta principal do badalado UFC 205, em Nova York, em 12 de novembro.

“Se eu fosse um bad boy, chegasse lá e cuspisse na cara dos outros, empurrasse, eu seria muito mais valorizado, porque isso chama atenção, tanto de mídia, dos fãs, de todos”, afirmou o lutador de Manaus em entrevista ao programa Esporte Espetacular, da Rede Globo.

Com a controversa escolha – que prioriza a venda de pacotes de pay-per-view, já que McGregor e Alvarez são lutadores bem mais populares nos Estados Unidos –, o UFC acabou “travando” a categoria peso-pena, que tem o irlandês como campeão linear e Aldo como campeão interino – durante todo o ano.

Aldo voltou a sinalizar que não atuará novamente pelo UFC.  “É difícil lutar desanimado e manter uma coisa que você não quer mais. Pelo fato de eu ser o campeão por muito tempo, o único campeão peso-pena, eu merecia uma disputa de cinturão e isso não veio.”

O brasileiro revelou que no dia em que foi nocauteado por McGregor, em Las Vegas, no UFC 194, Dana White lhe disse pessoalmente que lhe concederia a chance de retomar o cinturão.  “Quando eu perdi, o Dana foi ao vestiário e falou que minha próxima luta seria ou com o Frankie Edgar, pelo título linear de novo, ou uma revanche mesmo.”

Aldo acabou lutando com Edgar, mas pelo cinturão interino, e jamais recebeu a chance de se vingar de McGregor – que, por sua vez, teve seu desejo de lutar em outras categorias atendido. O irlandês lutou duas vezes com Nate Díaz (uma derrota e uma vitória) pelos meio-médios e agora disputará o cinturão dos leves.

Aldo disse, inclusive, que também quis lutar por outras categorias, mas foi proibido de manter dois cinturões por Dana White. “Isso é outra coisa que também me faz ter certeza da decisão que estou tomando hoje, porque o tratamento que eu tive lá atrás nessa negociação não é a mesma coisa que existe hoje.”

Dana White insiste que McGregor também terá que abrir mão de um dos cinturões caso vença Alvarez no Madison Square Garden. O falastrão irlandês, no entanto, desafiou o presidente do UFC na última coletiva e disse que ficará com um cinturão em cada ombro. “O McGregor gosta muito de falar e isso faz parte da empolgação que ele proporciona, mas ele terá que desistir de um dos cinturões”, reafirmou Dana ao Esporte Espetacular.

Dana disse ainda que Aldo não terá seu contrato com o UFC rescindido – o brasileiro tem compromisso para mais seis lutas, com multa milionária para quebra do vínculo – e acredita que o lutador desistirá da aposentadoria. “Não vamos cancelar o contrato do José Aldo. Sabia que ele ia ficar chateado, que reagiria com emoção. Gosto muito dele, gosto da mulher, da família, amo seu técnico Dedé Pederneiras, e a gente vai resolver essa questão toda.”