Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Experiência para jovens é visto como principal legado do empate colorado

Apesar de não ter chegado à final da Audi Cup, o clima era de satisfação do Inter após empatar por 2 a 2 com o Barcelona no tempo normal e perder por 4 a 2 nos pênaltis. A vontade de buscar o resultado diante dos gigantes espanhois foi muito elogiada, mas o que mais animou o técnico interino Osmar Loss foi a participação de jovens.

Com cinco ausências na delegação (Juan, Oscar, Guiñazu, Índio e Zé Roberto), os colorados precisaram utilizar muitos jogadores com pouca rodagem. Da escalação inicial, Rodrigo Moledo só havia atuado em partidas com o time B no Campeonato Gaúcho, quase a mesma situação que o volante Elton, que além dos primeiros jogos do Estadual, entrou em campo diante do São Paulo pelo Campeonato Brasileiro.

No segundo tempo entraram Lucas Roggia, João Paulo e Zé Mário. Os dois primeiros não tinham sequer 90 minutos jogados pelos profissionais. Já o lateral Zé Mário fez a sua estreia logo contra o Barcelona, um desfalcado Barcelona, mas que não deixa de ser o Barcelona. O jogador errou um dos pênaltis, o outro foi desperdiçado por Leandro Damião. Todas essas circunstâncias são vistas como um legado para os próximos meses de trabalho.

‘Serviu como experiência para os meninos. Serviu para mostrar que a dimensão do pênalti contra o Barcelona ou na final do Campeonato Gaúcho de juniores é a mesma. A dimensão do gol é a mesma. Eles vão amadurecer. São experiências que o Inter tirará proveito lá na frente’, comentou Loss em entrevista à imprensa brasileira presente em Munique.

O Barça começou o confronto com somente três titulares em campo. Foi o suficiente para sufocar os colorados em seu próprio campo. No segundo tempo, as trocas começaram a ser efetuadas, com a equipe catalã, terminado o jogo, tendo realizado 11 substituições. As modificações em doses industriais foram aproveitadas pelo Inter, emparelhando a disputa.

‘Já vimos diversos grandes times da Europa somente se defendendo contra o Barcelona. Muitas vezes a gente agrediu com a última linha marcando lá em cima. Enfrentamos a melhor equipe do mundo na atualidade e não saímos derrotados nos 90 minutos, não ficamos com postura de quem veio especular, causando um erro deles’, analisou o treinador colorado.

O Inter volta a entrar em campo na quarta-eira na disputa do terceiro lugar.