Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Embalada por canções de Cássia Eller, Marily faz treino leve e sonha com título

Um dia antes da 87edição da Corrida Internacional de São Silvestre, algumas das favoritas ao título treinaram no Parque do Ibirapuera. Diferente das demais corredoras, a brasileira Marily dos Santos evitou o piso de terra para correr no asfalto na manhã desta sexta-feira, embalada pelas canções de Cássia Eller no fone de ouvido.

A cantora faleceu no dia 29 de dezembro de 2001, data recordada pela brasileira. ‘Lembro que naquele ano eu disputaria uma das minhas primeiras São Silvestres e me avisaram que a Cássia Eller tinha morrido. Eu nem conhecia direito o rosto dela, mas ouvia as canções no rádio e gostava’, contou.

Questionada sobre sua música favorita de Cássia Eller, Marily cantarolou um trecho de ‘O Segundo Sol’. ‘Nos aniversários do falecimento dela, eu fico me lembrando’, contou a atleta depois de trotar por 20 minutos, sempre com o fone de ouvido.

Marily foi ao Ibirapuera acompanhada por Gilmário Medes, seu marido e treinador. Terceira colocada nas edições de 2008 e 2009 da São Silvestre, a corredora alagoana se diz bem preparada para a prova deste sábado e sonha com um inédito título da Corrida.

‘Eu trabalhei desde os cinco anos de idade e não é uma temporada de treino e competição que me deixa cansada. Estou me sentindo bem. Não sou a melhor, mas sou uma das melhores e estou pronta para brigar de igual para igual. Fiz um trabalho muito bom durante o ano, mas é São Silvestre e todo mundo quer ganhar’, declarou.

Uma vitória brasileira na disputa feminina seria um feito significativo, já que uma atleta do País venceu pela última vez na temporada de 2006, com Lucélia Peres. Desde então, a queniana Alice Timbilili triunfou em 2007 e 2010, a etíope Yimer Wude Ayalew ganhou em 2008 e Pasalia Chepkorir, também do Quênia, levou em 2009.

‘A presença das africanas não me abate de jeito nenhum. Mesmo que eu saiba que muitas delas podem chegar na minha frente, elas não são tão assustadoras. Em 2009, por exemplo, só duas estrangeiras me superaram. Se você estiver bem treinada e confiante no dia da corrida, não tem segredo’, declarou a alagoana.

A prova deste domingo marca uma mudança no trajeto da São Silvestre, uma vez que a largada foi deslocada da Avenida Paulista para o Obelisco do Ibirapuera. Marily não apenas aprovou o novo trajeto, como apostou que suas companheiras farão o mesmo.

‘As pessoas que inventaram esse novo percurso foram inteligentíssimas. Sempre é bom ter novidade e hoje em dia as coisas estão mudando constantemente. Com certeza, a maioria dos atletas vai gostar depois da corrida. Eu adorei’, declarou a corredora.

Além de Marily dos Santos, outras brasileiras aproveitaram a manhã de sexta-feira para treinar no Parque do Ibirapuera. Maria Zeferina Baldaia, campeã da edição de 2001 da São Silvestre, e Cruz Nonata, prata nos 5 e 10 mil metros do Pan-americano de Guadalajara, também fizeram os últimos ajustes.