Sueco “The Square” vence a Palma de Ouro

Sofia Coppola torna-se a segunda mulher a ganhar o prêmio de direção, e o francês ‘120 Battements par Minute’ leva o Grande Prêmio do Júri

O filme ‘The Square’, de Ruben Östlund, é o ganhador da Palma de Ouro, no 70º Festival de Cannes. Os prêmios foram anunciados na noite do domingo, no Grand Thêátre Lumière.

O francês ‘120 Battements par Minute’, dirigido por Robin Campillo, levou o Grande Prêmio do Júri, uma espécie de segundo lugar.

Sofia Coppola foi escolhida a melhor diretora, por ‘O Estranho que Nós Amamos’. Ela é a segunda mulher a ganhar o prêmio – a outra é a russa Yuliya Solntseva, que levou em 1961.

Joaquin Phoenix venceu o prêmio de ator, por ‘You Were Never Really Here’, de Lynne Ramsay. Phoenix parece ter ficado surpreso com o prêmio e demorou um tempo para se levantar.

A melhor atriz foi Diane Kruger, pelo filme ‘Aus dem Nichts’, dirigido por Fatih Akin. “Não posso aceitar esse prêmio sem pensar nas pessoas afetadas pelo terrorismo”, disse a atriz em seu discurso de agradecimento.

Veja também

O troféu de roteiro foi dividido entre Yorgos Lanthimos (The Killing of a Sacred Deer) e Lynne Ramsay (You Were Never Really Here). Já o prêmio do júri ficou com ‘Nelyubov,’ de Andrey Zvyagintsev.

Por ocasião do 70º aniversário, o júri decidiu um prêmio especial a Nicole Kidman.

O júri da competição oficial foi presidido pelo cineasta, roteirista e produtor espanhol Pedro Almodóvar, e composto pela diretora, atriz e produtora alemã Maren Ade. A atriz e produtora norte-americana Jessica Chastain, a atriz chinesa Fan Bingbing, e a atriz, diretora e roteirista francesa Agnès Jaoui também estiveram na bancada. O diretor, roteirista e produtor sul-coreano Park Chank-wook, o ator, produtor e músico norte-americano Will Smith, o diretor e roteirista italiano Paolo Sorrentino e o compositor francês Gabriel Yared, também compuseram a mesa.

A Caméra D’Or, dada para o melhor estreante entre todas as seções do festival, foi concedida para a produção francesa ‘Jeune Femme’, de Léonor Serraille. O júri foi presidido pela atriz e diretora francesa Sandrine Kiberlain e integrado por Patrick Blossier, Elodie Bouchez, Guillaume Brac, Thibault Carterot, Fabien Gaffez e Michel Merkt.

A Palma de Ouro de curta-metragem foi para o chinês’ Xiao Cheng Er Yue’ (em inglês, A Gentle Night), de Qiu Yang. O finlandês ‘Katto’, de Teppo Airaksinen, ganhou uma menção especial. O prêmio de melhor produção da Cinéfondation, para curtas-metragens feitos por estudantes, ficou com o belga ‘Paul Est Là’, de Valentina Maurel.

O júri dos dois prêmios foi presidido pelo cineasta romeno Cristian Mungiu e composto pela atriz francesa Clotilde Hesme, pelo diretor e roteirista norte-americano Barry Jenkins, pelo diretor, roteirista e produtor de Cingapura, Eric Khoo e pela atriz, roteirista e produtora grega Athina Rachel Tsangari.