Os 15 filmes mais românticos de todos os tempos

Cena do filme 'Uma Linda Mulher'

Cena do filme ‘Uma Linda Mulher’ (VEJA)

Quando o Dia dos Namorados cai na mesma data da abertura da Copa do Mundo no Brasil, um bom programa para fazer a dois é emendar o jogo da seleção brasileira com um açucarado filme romântico. Confira na lista abaixo quinze produções que prometem não decepcionar os casais mais apaixonados e também quinze canções românticas de trilhas sonoras.

‘Casablanca’ (1942)

Uma das maiores histórias de amor do cinema, Casablanca foi indicado a oito Oscars e arrematou três, entre eles o de melhor filme. O romance entre os americanos exilados Rick Blaine e Ilsa Lund é ambientado na cidade marroquina que dá nome ao longa, em plena Segunda Guerra Mundial. Rick, dono de uma das principais casas noturnas da região, reencontra o seu antigo amor (Ilsa) quando descobre uma maneira de ajudar os refugiados da guerra a retornar aos seus países de origem. O problema é que sua antiga paixão agora está casada, o que, contudo, não impede que os dois reconstruam seu romance para retornar, fugidos, aos Estados Unidos.

‘As Pontes de Madison’ (1995)

Indicada ao Oscar de melhor atriz em 1996 por este filme, Maryl Streep aqui é Francesca Johnson, uma fazendeira do interior de Iowa que constrói um romance rápido, porém intenso, com o fotógrafo Robert Kincaid (Clint Eastwood) enquanto seu marido e seus filhos estão viajando. A relação entre os dois volta à tona após o falecimento de Francesca, quando seus filhos encontram cartas deixadas por ela sobre a sua breve e marcante paixão, fazendo com que eles passem a questionar os próprios casamentos. O longa é baseado no livro de mesmo nome de Robert James Waller.

‘Titanic’ (1997)

O romance proibido entre Jack (Leonardo Dicaprio) e Rose (Kate Winslet) no transatlântico naufragado Titanic conquistou onze estatuetas do Oscar em 1998, além da primeira posição no ranking das das maiores bilheterias da história do cinema por doze anos. O longa dirigido por James Cameron narra a história do aventureiro Jack, que consegue uma passagem para o luxuoso navio e lá conhece Rose, uma jovem da alta sociedade americana. Insatisfeita com sua vida e a obrigação de se casar com seu noivo, ela inicia um relacionamento com o jovem de classe social mais baixa. O romance entre os dois é interrompido tragicamente com o naufrágio do navio, em uma história que emociona pessoas de diferentes idades até hoje. Em 2012, o filme voltou às telas de cinema em uma versão 3D.

‘Ghost: Do Outro Lado da Vida’ (1990)

Vencedor de dois Oscars, Ghost: Do Outro Lado da Vida narra a história de amor impossível entre Molly Jensen (Demi Moore) e Sam Wheat (Patrick Swayze). Mesmo depois de ser assassinado na saída de uma peça de teatro, Sam permanece na Terra, em espírito, para ajudar a esposa a fugir dos mesmos bandidos que tiraram a sua vida. Para alertar Molly do perigo, ele recorre à médium trambiqueira Oda Mae Brown (Whoopi Goldberg).

‘Uma Linda Mulher’ (1990)

Em Uma Linda Mulher, Julia Roberts é Vivian Wards, uma prostituta que é contratada pelo milionário Edward Lewis (Richard Geere) para servir de acompanhante em compromissos sociais por uma semana. No entanto, a relação dos dois ultrapassa os limites do relacionamento entre cliente e garota-de-programa e se transforma em um verdadeiro romance. Dirigida por Garry Marshall, a divertida história de amor entre as personagens de Julia Roberts e Richard Gere rendeu a Uma Linda Mulher uma indicação ao Oscar em 1991.

‘Shakespeare Apaixonado’ (1999)

Vencedor de sete Oscars, incluindo o de melhor atriz para Gwyneth Paltrow, Shakespeare Apaixonado narra o romance entre o jovem William Shakespeare (Joseph Fiennes) e Viola de Lesseps (Gwyneth Paltrow), musa inspiradora de uma de suas peças mais famosas, Romeu & Julieta. A jovem, que tinha o sonho de ser atriz em uma época em que mulheres eram proibidas no teatro, se disfarça de homem para ensaiar um dos textos do dramaturgo. A relação entre os dois, então, evolui para algo mais sério apesar de Viola já estar com casamento arranjado com Lorde Wessex (Colin Firth).

‘Cidade dos Anjos’ (1998)

Baseado no clássico de Win Wenders Asas do Desejo, Cidade dos Anjos (1998) conta a história de um amor impossível entre um anjo e uma humana. Seth (Nicolas Cage) é encarregado por vagar pela Terra e consolar aqueles que estão a um passo da morte. Certo dia, ele conhece Maggie (Meg Ryan), uma cirurgiã que havia acabado de perder um paciente durante uma operação. O anjo se apaixona de tal maneira pela doutora que resolve fazer de tudo para ficar com ela, inclusive desistir da eternidade.

‘Um Amor para Recordar’ (2002)

Um Amor para Recordar (2002) passa a mensagem de quanto um sentimento é capaz de transformar uma pessoa. Baseado no best-seller homônimo de Nicolas Sparks, o filme conta a história do irresponsável bad boy Landon (Shane West), que, após fazer uma brincadeira de mau gosto no colégio onde estuda, é obrigado a participar da produção de uma peça teatral. Lá, ele conhece a bela e sensível Jamie Sullivan (Mandy Moore), por quem se apaixona. O romance entre os dois evolui de tal maneira que Landon se transforma em uma pessoa melhor. Além do romance adolescente e ingênuo que move a trama, o enredo trágico faz com que Um Amor Para Recordar se torne um filme memorável.

‘Diário de uma Paixão’ (2004)

Também baseado em um best-seller de Nicolas Sparks, The Notebook, o longa Diário de uma Paixão narra um romance ambientado na década de 1940, entre Noah Calhoun (Ryan Gosling) e Allie Hamilton (Rachel McAdams), que se conhecem e se apaixonam ainda na adolescência, mas são obrigados a se separar por causa da reprovação dos pais da garota. Os dois passam a viver em cidades diferentes, mas a paixão nunca deixa de existir. No entanto, sete anos depois Noah reencontra sua antiga paixão, às vésperas de ela se casar com Lon Hammond Jr. (James Marsden), e vem à tona o sentimento que ficou no passado. Diário de uma Paixão é marcante por contar uma história de amor que resiste ao tempo.

‘O Segredo de Brokeback Mountain’ (2005)

O romance gay de O Segredo de Brokeback Moutain foi, ao mesmo tempo, um choque para os espectadores da época e um sucesso de bilheteria e de crítica, faturando três Oscars. O filme conta a história de Jack Twist (Jake Gyllenhaal) e Ennis del Mar (Heath Ledger), dois vaqueiros que são contratados para cuidar de ovelhas nas montanhas de Brokeback durante o verão de 1963 e, com o tempo, acabam estreitando a relação a ponto de desenvolverem um romance. A história de amor quebra o estereótipo dos filmes de velho-oeste com cowboys sendo representados por personagens rudes e machistas.

‘Meu Primeiro Amor’ (1991)

A história de amor mais jovem da lista é Meu Primeiro Amor. A relação afetiva entre os melhores amigos Vada Sultenfuss (Anna Chlumsky) e Thomas J. Sennett (Macaulay Culkin), ambos de 11 anos, se mistura com um enredo trágico e triste capaz de comover qualquer um até os dias de hoje. O longa nunca abocanhou nenhum Oscar, mas ganhou uma sequência três anos depois que não é muito interessante. 

‘Amor Além da Vida’ (1997)

Um filme com um enredo que beira o épico e se baseia na força de um romance que se mantém, literalmente, além da vida. Chris Nielsen (Robin Williams) é apaixonado por sua esposa Annie (Annabella Sciorra), com quem tem um casal de filhos. Devido a uma série de desventuras, os filhos e, em seguida, Chris morrem. Com isso, Annie passa a se sentir sozinha e deprimida, o que a leva a cometer suicídio e ir para um lugar diferente de onde estão os espíritos de seus familiares. O enredo se desenrola quando o personagem de Robin Williams, já no céu, vai em busca do espírito de sua amada no inferno. A viagem espiritual através dos mundos desconhecidos pelos vivos rendeu ao longa o Oscar de Melhores Efeitos em 1998.

‘Tudo por Amor’ (1991)

Assim como em Uma Linda Mulher, Julia Roberts vive aqui um romance que ignora os limites de classes sociais. O filme dirigido por Joel Schumacher (Um Dia de Fúria) narra a história de Hillary O’Neil (Julia Roberts), que se candidata ao emprego de enfermeira particular de Victor Geddes (Campbell Scott), um jovem de família rica que luta contra a leucemia. Apesar das diferenças entre os dois, o romance se desenvolve em meio à luta de Victor para se curar de sua doença. 

‘PS: Eu te Amo’ (2007)

Baseado no livro homônimo de Cecelia Ahern, PS: Eu te Amo é mais um filme da lista que ultrapassa as fronteiras entre a vida e a morte. Tudo tem início quando Garry (Gerard Butler) morre por causa de uma doença e deixa sua esposa Holly Kennedy (Hilary Swank) sozinha. No entanto, após o ocorrido, Holly descobre que ele havia deixado diversas cartas antes de partir, com o objetivo de ajudá-la em sua recuperação, traçando um novo caminho para a sua nova vida sem ele. Dando nome ao livro e ao filme, as cartas escritas por Garry sempre são fechadas com a seguinte frase: PS: Eu te Amo.

‘O Jardineiro Fiel’ (2005)

Em meio a um cenário político corrupto e a interesses da indústria farmacêutica, O Jardineiro Fiel narra a trajetória do diplomata britânico Justin Quayle (Ralph Fiennes), que vai em busca de respostas a respeito do assassinato de sua esposa Tessa (Rachel Weisz), uma ativista dos direitos humanos. A trágica e polêmica história dirigida por Fernando Meirelles recebeu quatro indicações ao Oscar em 2006 e levou um, o de melhor atriz coadjuvante para Rachel Weisz.

Bill Medley e Jennifer Warnes – Time of My Life (Dirty Dancing – Ritmo Quente)

A cena final do filme de 1987, com Jennifer Grey e Patrick Swayze no papel de um charmoso professor de dança, é sempre lembrada como uma das mais envolventes do cinema.

Dermot Mulroney – The Way You Look Tonight (O Casamento do Meu Melhor Amigo)

Apesar dos personagens de Julia Roberts e Dermot Mulroney não terminarem juntos no filme de 1997, a cena não deixa de ser muito, mas muito romântica.

Cliff Richard e Sarah Brightman – All I Ask of You (O Fantasma da Ópera)

De tão linda, a música já é um “clássico” do repertório de casamentos. Sem falar dos karaokês, onde pombinhos adoram fazer número interpretando juntos a canção.

Whitney Houston – I Will Always Love You (O Guarda-Costas)

O filme pode ter manchado a carreira de Kevin Costner e de Whitney Houston, mas a faixa embalou muitas histórias de amor. É um dos temas mais românticos — e derramados — da história do cinema.

John Travolta e Olivia Newton John – Summer Nights (Grease – Nos Tempos da Brilhantina)

O filme de 1978 traz certa nostalgia de tempos, talvez, mais inocentes. A música, na qual Danny (John Travolta) conta vantagem, dizendo que deu uns amassos em Sandy (Olivia Newton John), enquanto ela fica toda feliz só por eles terem dados as mãos, é retrato fiel das diferenças entre homens e mulheres.

Righteous Brothers – Unchained Melody (Ghost – Do Outro Lado da Vida)

A música que embala uma das cenas mais emblemáticas do cinema, do filme que projetou Demi Moore em 1990, é até hoje uma das preferidas dos casais de namorados. 

Adam Sandler – Grow Old With You (Afinado no Amor)

Adam Sandler é comediante, mas neste longa de 1998 ele provou que tem talento para o romance. No papel do cantor e compositor que é abandonado pela noiva no altar, mas encontra na garçonete vivida por Drew Barrymore uma nova chance de ser feliz, ele mandou ver. Quem não se casaria com ele depois dessa prova de amor? Drew Barrymore se casou (na ficção, pelo menos). A canção acompanha o clima.

The Beach Boys – Wouldn’t It Be Nice? (Como se Fosse a Primeira Vez)

Nesta nova dobradinha de Adam Sandler e Drew Barrymore, de 2004, a música serviu como tema da personagem esquecidinha dela, por quem o personagem de Adam provava seu amor todos os dias: como ela nunca lembrava do que havia acontecido no dia anterior, ele precisa apresentar-se a ela e fazê-la recordar de tudo, trabalho de que ele não abriu mão.

Michael Cera e Ellen Page – Anyone Else But You (Juno)

Desajeitada como o casal de estudantes Michael Cera e Ellen Page, que se apaixona, engravida e decide doar o filho no filme independente de 2007, a música cai bem para pares mais descolados.

The Smiths – There Is a Light That Never Goes Out (500 Dias com Ela)

Ok, o enredo de Tom (Joseph Gordon Levitt) e Summer (Zooey Deschanel) no filme de 2009 não é lá muito feliz — para começo de história, ele, um azarado escritor de cartões românticos e celebrativos, leva um fora dela, sua namorada. Tampouco é feliz essa canção desesperada de amor (“E se um ônibus de dois andares matar nós dois/ Morrer do seu lado/ Que jeito divino de morrer”) de Morrissey. Mas o amor às vezes é assim mesmo, ou não?

The Temptations – My Girl (Meu Primeiro Amor)

A trilha desse clássico de Sessão da Tarde, lançado em 1991, quando o ator Macaulay Culkin ainda era um menino fofo, vai ser, para sempre, a música romântica favorita de várias gerações. 

Goo Goo Dolls – Iris (Cidade dos Anjos)

O filme em que Nicholas Cage deixa de ser anjo para experimentar, na qualidade de um mortal, o sabor de um sorvete e do amor de Meg Ryan (qualquer coincidência com Asas do Desejo, de Win Wenders, não há de ser mera coincidência) é muito triste, mas a música do longa de 1998 emplacou na história de muitos casais.

Ronan Keating – When You Say Nothing At All (Um Lugar Chamado Notting Hill)

O filme de 1999 em um anônimo vivivo por Hugh Grant conquista a famosa atriz interpretada por Julia Roberts, a maior namoradeira da história do cinema, costuma arrancar suspiros da mulherada. E não à toa: a música é mesmo de provocar suspiros.

Ewan McGregor – Your Song (Moulin Rouge)

A música na voz de Elton John já é linda. Mas, na cena em que o personagem de Ewan McGregor canta para Nicole Kidman, no longa que projetou o diretor australiano Baz Luhrmann ao mundo em 2001, as coisas vão a outro nível.

Damien Rice – The Blower’s Daughter (Closer – Perto Demais)

A canção que fecha o filme de 2004, com a cena de Natalie Portman andando na rua, deixou muita gente com os olhos encharcados no cinema.