O caminho para fama (e que veio dar em São Paulo) de Ed Sheeran

Cantor britânico faz longa passagem pelo país em Maio, com a turnê 'Divide'

Com setores lotados e uma penca de fãs chorosos por não conseguir ingressos para ver o ídolo ao vivo, Ed Sheeran se apresenta em São Paulo, no Allianz Parque, neste domingo, depois de passar por Curitiba e pelo Rio e antes de seguir para Belo Horizonte, onde encerra na próxima terça-feira o episódio brasileiro da turnê Divide. O cantor visitou as capitais do Paraná e Rio de Janeiro com direito a paradinhas para um churrasco, passeios na praia e visita a uma fã hospitalizada, e deu pinta, com o charme mesclado a merchandising social, do ídolo que vem se tornando.

Quando Lego House, seu primeiro hit, estourou em 2014, Ed Sheeran chegou a ser apontado como um irmão mais novo de Rupert Grint (o Rony Weasley de Harry Potter). Então, a maioria não tinha ideia de quem era o ruivinho britânico. Três anos depois, seu terceiro álbum em estúdio, ÷ (lê-se Divide), está entre os mais vendidos do ano — contam-se a 1,4 milhão de cópias — e o cantor se tornou o queridinho da música pop, apontado agora como alguém que pode rivalizar com Justin Bieber.

A ascensão meteórica de Sheeran pode ser atribuída tanto às suas canções “chiclete”, quanto ao jeito “gente como a gente” do cantor, que não faz o estilo estrela e é sempre solícito com os fãs. Mas o sucesso é também, e principalmente, fruto da versatilidade do cantor — um itinerário arriscado, mas que deu surpreendentemente certo para ele, apesar de uma ou outra acusação de plágio pelo caminho.

Diferente de colegas como Justin Bieber e Taylor Swift, Sheeran não seleciona as músicas para atingir um determinado público. Ele parece fazer o que quer. Emenda o folk de Galway Girl na sequência da dançante Shape of You, enquanto entoa situações do dia-a-dia em Castle on the Hill, e as angústias amorosas em tempos de Facebook em New Man. Assim, o músico abraça os fãs de qualquer gênero musical.

E de qualquer idade. Da mesma forma como emplaca uma música atrás de outra entre as mais reproduzidas em plataformas de streaming como Spotify — relacionadas a ouvintes mais jovens –, seus discos físicos vendem como água junto a um público mais velho e mais chegado em mídias tradicionais. Segundo levantamento da revista Forbes, quase a metade das vendas de Divide se deram em CD ou vinil, consumidos, por exemplo, por pais que conheceram o cantor por meio dos filhos.

Quer conhecer mais sobre o Ed Sheeran? VEJA reuniu em uma playlist os principais sucessos do cantor britânico. Ouça abaixo: