Mostra reúne 28 capas históricas do Jornal da Tarde

Por AE

São Paulo – Em 4 de janeiro de 1966, chegava às bancas o primeiro exemplar do Jornal da Tarde, irmão mais novo de O Estado de S.Paulo. Com uma moderna apresentação gráfica, levava ao leitor notícias frescas do dia, a partir das 15h. Isso ocorreu até 1988, quando o trânsito da cidade inviabilizou a distribuição ágil e o fez transformar-se em matutino. O jeitão irreverente e leve de abordar os fatos surgiu numa redação composta por 51 jovens, com idade média de 21 anos, e renovou a maneira de se fazer uma publicação diária. De lá pra cá, passaram-se 45 anos. Relembrando parte dessa história, abre hoje, no Armazém Piola, a mostra “Capas Históricas do Jornal da Tarde”.

A exposição reúne 28 capas, com foco especial nas publicadas até os anos 1980. Para serem expostas, as imagens foram ampliadas nas mesmas proporções do jornal. O evento é uma parceria do Arquivo Estado com o proprietário do Piola, Fernando Costa, também jornalista. Edmundo Leite, coordenador do Arquivo, conta que a seleção foi feita levando-se em consideração a relevância dos fatos noticiados e o apelo estético das páginas. “Optamos também por ficar no período das capas em preto e branco, que passou pelas décadas de 60, 70 e 80”, explica. O que não exclui edições memoráveis, como a que trata da morte de Tom Jobim, em dezembro de 1994.

Costa destaca a linguagem diferenciada das capas. “Quem se acha moderninho, vai se surpreender com o que já foi feito no JT. O jornal utilizava a linguagem publicitária para fazer jornalismo”. O material selecionado trata de assuntos variados, como política, esportes, cidade, e demonstra a preferência do jornal por destacar um único assunto por dia. Décio Trujilo, editor-chefe do JT, ressalta a importância do evento. “A exposição é uma amostra do trabalho inovador dos primeiros anos do Jornal da Tarde. Um veículo que influenciou o design do jornalismo brasileiro”, diz.As informações são do Jornal da Tarde.

Capas Históricas do Jornal da Tarde – Armazém Piola (Rua Aspicuelta, 547). Tel. (011) 4305-6539. Abertura: hoje, às 20h. Até 29/8. De ter. a qui., das 18h à 1h. Sex. e sáb., das 18h às 3h. Dom., das 14h à 0h. Grátis.