Morre, aos 79, o cineasta Paulo César Saraceni

Nascido no Rio de Janeiro, Saraceni é considerado um dos fundadores do Cinema Novo, ao lado de Glauber Rocha e Cacá Diegues

O cineasta brasileiro Paulo César Saraceni, 79 anos, morreu no início deste sábado no Rio de Janeiro, de falência múltipla de órgãos. Saraceni estava internado há oito meses no Hospital Federal da Lagoa, na Zona Sul da cidade, após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).

Diretor de cinema e roteirista, Saraceni é considerado um dos principais cineastas do Cinema Novo, ao lado de Glauber Rocha, Cacá Diegues, Nelson Pereira dos Santos, entre outros. Ele conquistou sete prêmios em festivais europeus com o curta-metragem Arraial do Cabo (1960).

O primeiro longa-metragem de Saraceni foi Porto das Caixas (1962). Em 1968, o carioca lançou Capitu, uma adaptação do clássico Dom Casmurro, de Machado de Assis. Anos mais tarde ele lançaria ainda os documentários Bahia de Todos os Sambas (1996) e Banda de Ipanema – Folia de Albino (2003).