Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Foi um risco”, diz diretor sobre adaptar ‘O Escaravelho do Diabo’

Filme baseado no clássico da literatura infantojuvenil estreia no dia 14 de abril

No próximo dia 14, chega aos cinemas brasileiros o filme O Escaravelho do Diabo, adaptação do livro de Lúcia Machado de Almeida que se tornou um clássico da literatura infantojuvenil brasileira, com 26 edições publicadas até hoje. Nesta segunda-feira, durante uma coletiva de imprensa sobre a nova produção, o diretor Carlo Milani falou sobre a responsabilidade de levar às telonas uma história presente no imaginário de tantas pessoas. “É um risco que você corre”, disse. Segundo ele, um dos maiores desafios do longa foi manter a narrativa de suspense apropriada para o público mais novo (a classificação indicativa é de 12 anos), mantendo o interesse dos adultos que leram o livro de Lúcia na escola.

O Escaravelho do Diabo gira em torno de assassinatos em série que acometem a pequena cidade de Vale das Flores. Nesses casos, as vítimas – todas ruivas – recebem um escaravelho antes de serem mortas. A investigação dos crimes é liderada pelo delegado Pimentel (no filme, interpretado por Marcos Caruso), com a ajuda de Alberto. No texto de Lúcia Machado, o personagem é estudante de medicina de 22 anos, mas, no longa, trata-se de um menino de 13 anos (Thiago Rosseti). E é por meio do ponto de vista dele que a história é narrada. “Avaliando a adequação dessa história para o público atual, julgamos ser pertinente mudar a perspectiva e o ponto de vista do protagonista. Nos pareceu mais interessante que fosse um menino e não um adulto porque a forma como ele se relaciona com a investigação é muito mais interessante”, disse Milani.

Além da narrativa principal, o filme também aborda temas paralelos, incluindo o bullying. Segundo Milani, um dos objetivos do filme é fazer com que ele e seus assuntos sejam discutidos nas salas de aula. “Uma das intenções é oferecer uma ferramenta para dispertar o interesse dos jovens pela leitura, pelo audiovisual e pelo casamento da literatura brasileira com o cinema”, disse.

Leia também:

‘O Escaravelho do Diabo’, clássico infantojuvenil, vira filme

O filme, do gênero suspense, faz uma interessante mistura entre cenas de violência com o humor – em especial, nas sequências protagonizadas por Caruso. “Eu particularmente trabalho sempre que possível com duas chaves. Trabalho no drama com a chave da comédia e a comédia com a chave do drama. É claro que você não pode trabalhar um drama com a comédia aberta, mas com a chave do bom humor, do humor negro, do bem humorado, tentando fazer o drama com um olhar menos dramático. E da mesma forma fazer comédia com a chave do drama é o ideal. Não fica pastelão”, afirmou o ator na coletiva de imprensa.

O novo longa marca a estreia de Milani no cinema, depois de 25 anos trabalhando na TV Globo. O diretor esteve à frente, por exemplo, de novelas como Além do Horizonte, Tempos Modernos e América. A produção de O Escaravelho do Diabo ficou a cargo de Sara Silveira, da Dezenove Som e Imagens (Bicho de Sete Cabeças), em parceria com a Globo Filmes. Também fazem parte do elenco do filme atores como Selma Egrei (Velho Chico), Lourenço Mutarelli (O Cheiro do Ralo), Jonas Bloch (Mulheres de Areia) ​e Celso Frateschi (Êta Mundo Bom!).