Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dança contemporânea surpreende pedestres nas ruas de Londres

Londres, 27 jun (EFE).- A dança contemporânea da Sydney Dance Company, uma das companhias mais reconhecidas da Austrália, surpreende os cidadãos e visitantes de Londres a partir desta quarta-feira sob o ritmo da música de 50 pianos espalhados pela capital britânica.

Celebrando cinco décadas do festival da City de Londres, os organizadores espalharam 50 pianos dourados com os dizeres ‘Play me, I’m yours (Me toca, eu sou teu)’. A ideia é que as pessoas se sentam a vontade para compartilhar seus talentos com os demais pedestres.

Inúmeras atividades serão organizadas ao redor desses instrumentos, como aulas gratuitas ou espetáculos espontâneo de dança contemporânea, que começou hoje e será apresentado até sexta.

Ao longo destes três dias, dois dançarinos aparecem de surpresa ao lado dos pianos, localizados nas ruas, nos parques, nas estações e ao lado de alguns dos monumentos mais conhecidos de Londres, e representam a coreografia preparada por Rafael Bonachela, diretor artístico da Sydney Dance Company.

‘As pessoas geralmente estão comendo, passeando e, inclusive, chegando de Paris na estação de trem. De repente, elas se deparam com um espetáculo de dança. É uma iniciativa bonita porque surpreende as pessoas’, disse Bonachela à agência Efe.

A música, que acompanha a apresentação de três minutos de duração, foi composta pelo pianista britânico Gwilym Simcock, que também se encarrega de tocar.

Apesar do clima instável da capital britânica, o espetáculo conseguiu reunir uma grande concentração de pessoas em sua estreia, especialmente nas localizações mais centrais e turísticas.

‘Sempre há espaço para compartilhar arte. Além disso, nos apresentamos para pessoas que geralmente não costumam assistir um espetáculo de dança contemporânea. Por enquanto, só recebemos bons comentários’, explicou Bonachela.

Além das exibições nas ruas, o festival também preparou uma série de atuações de estudantes, que, acompanhados dos pianos, ficarão responsáveis por tocarem canções folclóricas e populares da África, América do Sul, Europa, Ásia e do Reino Unido. Trata-se de uma grande oportunidade para estas crianças demonstrarem em público o repertório que apresentam na escola. EFE