Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Correção:O que o mar separa, a música une em Calungá

Por Roger Marzochi

São Paulo – O texto enviado ontem continha uma incorreção no Serviço do show “Calungá” em São Paulo. A apresentação em São Paulo será no dia 13/07, que será uma sexta-feira e não um domingo. Abaixo o texto com o Serviço correto:

Poetas, contadores de história e músicos. É assim que o percussionista Naná Vasconcellos prefere lembrar os negros trazidos como escravos para o Brasil que conseguiram perpetuar a sua cultura mesmo muito além do mar que os separavam de suas tribos. É com esse significado de transposição do oceano, de barreiras, que terá início a partir de amanhã, quarta-feira, “Calungá”, uma série de shows de 39 alunos do Projeto Guri com avançado nível de desenvolvimento artístico com a participação do aclamado percussionista não como maestro, mas como um “contador de histórias”, capaz de fazer a ligação entre as músicas que serão apresentadas.

O primeiro show ocorrerá amanhã em Santos, no Teatro Coliseu. Outras apresentações serão realizadas em Sorocaba (29/6), São José dos Campos (01/07) e São Paulo (13/07). Um dos significados da palavra calunga, na dialeto bantu, é mar, mas também é uma palavra associada à morte, a divindades do mar. Mas a ideia de transposição das águas, que separavam culturas e hoje as aproxima teve maior força na abordagem do show. “A água que separa, mas que junta as culturas. E os negros foram artistas, poetas, contadores de histórias, músicos, que vieram como escravos para o Brasil. Eu evito a palavra ‘escravo’, estamos em 2012… E procuramos mostrar às crianças esse universo, imaginar atravessia do navio negreiro”, conta Naná.

O show terá apresentação de músicas do disco “Canto dos Escravos”, gravado em 1982 com artistas como Clementina de Jesus, Tia Doca e Geraldo Filme. O disco é um exemplo da riqueza da cultura negra, cujos cantos chamaram a atenção do filólogo mineiro Aires da Mata Machado Filho, em 1929, quando estava em férias em São João da Chapada, em Diamantina. Eram cantos entoados nos campos de mineração que, depois de catalogados por outros pesquisadores, foram registrados em disco lançado na série “Memória Eldorado”, da Gravadora Eldorado.

Além das músicas desse disco, serão feitas apresentações de músicas de Villa-Lobos e do próprio Naná, que recentemente, no aniversário de Brasília, apresentou o show “Língua Mãe”, projeto no qual reuniu 30 crianças africanas, 30 portuguesas e 60 brasilienses cantando junto com a Sinfônica de Brasília. O resultado sairá agora em DVD junto com um documentário sobre o processo de criação do projeto.

Recorrente colaborador do Projeto Guri, Naná se preocupou em trabalhar o uso da voz e do corpo com os 39 alunos-músicos, das unidades do projeto das cidades de Cerquilho, Guareí, Ibiuna, Itú, Piedade, Pilar do Sul, Salto, São Roque e Sorocaba. “Meu trabalho foi fazer workshop com crianças para elas ficarem soltas com o corpo. O primeiro instrumento é a voz, e o outro, o corpo. No Nordeste a criança vivencia isso porque tem muita música na rua. Essa coisa do corpo fazer parte do canto, isso aqui já não ocorre tanto na cidade. Meu trabalho foi mais o de soltar e brincar, de deixá-los à vontade cantando, batendo palma e dançando, para ter naturalidade.” O coral, garante Naná, é afinadíssimo. Os músicos mirins também dançam e tocam instrumentos de percussão. Após a série de shows será lançado ainda um DVD com as apresentações e ensaios, alguns realizados na paradisíaca praia de Picinguaba, no litoral norte de São Paulo.

Santos

Quando: 27 de junho (quarta-feira), às 15h

Onde: Teatro Coliseu – Rua Amador Bueno, 237, Centro

Informações: Telefone (13) 4062 0016

Grátis

Sorocaba

Quando: 29 de junho (sexta-feira), às 20h

Onde: Teatro Municipal Teotônio Vilela – Avenida Engº. Carlos Reinaldo Mendes, s/nº, Alto da Boa Vista

Informações: Telefone (15) 3238-2222

Grátis

São José dos Campos

Quando: 1º de julho (domingo), às 16h

Onde: Teatro Municipal de São José dos Campos – Rua Rubião Júnior, 84 – 3º Piso

Informações: Telefone (12) 3942-1144

Grátis

São Paulo

Quando: 13 de julho (sexta-feira), às 21h

Onde: Auditório do Ibirapuera – Parque Ibirapuera.

Quanto: R$ 20,00

Ingressos: http://www.auditorioibirapuera.com.br/ tel. (11) 4003-5588 ou bilheteria