Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Baixista do Red Hot justifica playback no Super Bowl: regras

Em carta aberta no site oficial da banda, Flea afirmou que o grupo teve que se adaptar ao regulamento do evento, mas que 'faria tudo de novo'

Após receber diversas críticas nas redes sociais por ter feito playback durante o show do intervalo do Super Bowl, no último domingo, o baixista do Red Hot Chili Peppers, Flea, explicou por que ele e o guitarrista Josh Klinghoffen se apresentaram com o instrumento desligados.

Através de uma carta aberta no site oficial da banda, o músico garantiu que a banda não é adepta do playback, mas, como são fãs de futebol americano, acabaram se adequando às regras. “Quando fomos convidados pela NFL (Liga de futebol americano) e Bruno (Mars) para tocar Give It Away no Super Bowl, foi deixado bem claro que apenas o vocal seria ao vivo, mas o baixo, a guitarra e a bateria seriam pré-gravados”, escreveu o músico, que afirmou que entende o fato de a produção do evento ter poucos minutos para preparar o palco e, ao mesmo tempo, ter que lidar com “zilhões” de coisas que podem dar errado e estragar o som para os espectadores.

Bruno Mars e Red Hot levam encontro de gerações ao intervalo do Super Bowl

Obama bate boca com apresentador em entrevista pré-Super Bowl

Flea ainda alegou que ele e o guitarrista poderiam ter ao menos conectado os cabos nos amplificadores para fingir que se tratava de algo real, mas acreditaram que tocar com os instrumentos desligados seria a atitude mais sensata, dada as circunstâncias. “Foi como gravar um clipe na frente de muitas pessoas, com exceção do vocal. Nosso único pensamento era trazer apenas o nosso espírito para o público”, escreveu o baixista, que terminou a carta agradecendo a oportunidade dada pela NFL e por Bruno Mars e dizendo que “faria tudo da mesma maneira novamente.”