Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A caminho do Brasil, thriller ‘A Garota no Trem’ quebra recorde de Dan Brown

Livro de Paula Hawkins, que está sendo adaptado para o cinema pela Dreamworks, sai no fim deste mês no Brasil, pela Record. Marca foi batida no Reino Unido, onde o romance, comparado a 'Garota Exemplar', já vendeu mais de 800.000 exemplares

Um recorde atingido há seis anos por O Símbolo Perdido, o best-seller de Dan Brown, foi derrubado nesta semana por um livro que já teve seus direitos para o cinema comprados pela Dreamworks e está para desembarcar no Brasil. A Garota no Trem, que a Record lança até o fim deste mês, completou vinte semanas na liderança da lista das ficções de capa dura mais vendidas no Reino Unido, sete dias a mais que thriller protagonizado por Robert Langdon. Os dados são da empresa especializada Nielsen BookScan, reproduzidos em reportagem do site do jornal britânico The Guardian.

LEIA TAMBÉM:

A invenção de Dan Brown por Umberto Eco e outras histórias

Nem Morte Súbita (A Casual Vacancy), a estreia na literatura adulta da criadora de Harry Potter, JK Rowling, ou os livros policiais que ela assina sob o pseudônimo de Robert Galbraith, foram tão bem em vendas quanto o thriller sombrio de Paula Hawkins, uma escritora nascida e criada no Zimbábue que vive em Londres desde os 17 anos. Nem mesmo o thriller erótico Cinquenta Tons de Cinza: lançado em paperback — isto é, sem capa dura — foi tão longe. O romance de EL James passou 19 semanas na liderança da sua respectiva lista — a de paperback.

Ainda de acordo com a Nielsen BookScan, o único livro adulto a ficar mais tempo entre os mais vendidos de qualquer lista do Reino Unido foi outro de Dan Brown, O Código Da Vinci, que liderou por incríveis 65 semanas a lista de paperback.

A Garota no Trem é mesmo um fenômeno. Só na semana passada, o romance teve 7.280 exemplares comercializados no Reino Unido, o dobro do que vendeu o segundo colocado da lista, Pretty Girls, de Karin Slaughter. Ao todo, o livro já teve mais de 800.000 cópias vendidas no Reino Unido desde janeiro, quando foi publicado pela editora Transworld, e também emplacou boas marcas na Irlanda, Estados Unidos e Canadá. E o que chama a atenção no livro é que ele se fez à maneira antiga: pelo boca-a-boca.

Comparado a Garota Exemplar, o best-seller de Gillian Flynn que virou filme com Ben Affleck à frente do elenco, A Garota no Trem conta a história do desaparecimento de uma mulher a partir de três narradoras em que não se pode confiar muito. Uma delas, segundo Stephen King, fã declarado do livro, é “a narradora alcoólatra é mortalmente perfeita”.