Mais de 1 milhão de jovens de 15 a 17 anos estão fora da escola, segundo Censo Escolar 2015

Levantamento divulgado na última terça-feira revela que 8,1 milhões de alunos cursam o ensino médio, e 1,6 milhão de adolescentes de 15 a 17 anos não têm atendimento escolar.

Anunciado na terça-feira (22), o Censo Escolar de 2015 revela que há 1,6 milhão de jovens de 15 a 17 anos fora da escola. Outros 8,1 milhões de alunos cursam o ensino médio, segundo levantamento com dados de todo o país, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Leia também:

Brasil é um dos dez piores em rendimento escolar, aponta ranking internacional

56,7% dos jovens brasileiros terminam o ensino médio na idade adequada

Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, todos os alunos que não estão nas salas de aula brasileiras já foram identificados e a partir de abril, as famílias serão visitadas “uma a uma”, com finalidade de matricular os adolescentes e crianças em idade escolar: “A dificuldade é como a gente convence o adolescente a voltar para a escola”, disse. Em entrevista coletiva, Mercadante fez um paralelo das taxas criminais e o número de evasão escolar e afirmou que se todos os jovens estivessem na escola, o Brasil teria menos problemas de violência. Algumas das razões do abandono podem ser a repetência do aluno, gravidez precoce, envolvimento com o crime e a necessidade de trabalhar.

A equipe responsável pela tentativa de retorno dos estudantes será formada por técnicos do Ministério da Educação (MEC), agentes de saúde da família e assistentes sociais.

Pré-escola – O Censo 2015 mostrou que ainda é preciso alcançar 600 000 crianças de 4 e 5 anos que ainda não tem atendimento escolar. Comparando com os dados do IBGE e as matrículas colhidas pelo Censo Escolar, ambas do ano passado, esse número representa 17,3% da população nesta faixa etária.

Para Aloizio, é possível cumprir a meta 1 do Plano Nacional de Educação, mesmo com a carência de recursos. O propósito é garantir que todos os alunos de 4 e 5 anos frequentem a pré-escola: “São as crianças mais pobres que ainda não têm acesso à escola, e a inclusão vai gerar efeitos nos resultados dos anos posteriores, em alfabetização e letramento.”, afirmou.

Segundo o levantamento, há 105 000 escolas que oferecem esse tipo de ensino e estão matriculadas 4,9 milhões de crianças. A cada quatro alunos da pré-escola, um frequenta a instituições de rede privada.

EJA – O MEC ainda anunciou a criação de uma prova específica para alunos do projeto Educação de Jovenes e Adultos (EJA). O exame já será aplicado este ano, com previsão para acontecer até o fim de julho. Cerca de 900 000 candidatos prestam, todos os anos, o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) com objetivo de obter o atestado de conclusão escolar.

(Da redação)