Caem inscrições em São Paulo e Roraima. No resto do país, números em alta

O estado de São Paulo registrou queda de 5,45% nas inscrições para a edição deste ano do novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além de SP, apenas Rondônia também apresentou decréscimo de inscritos. Nos outros estados, houve aumento no número de interessados em prestar o exame, que totalizou 4,576 milhões de inscritos, número superior ao recorde do ano passado, no qual 4,018 milhões de alunos fizeram a inscrição.

A queda em São Paulo pode ser atribuída ao fato de que as universidades estaduais públicas – USP, Unesp e Unicamp – , que têm mais procura no estado, não fazem parte do grupo de instituições que aderiram ao novo Enem como prova única ou primeira fase do vestibular, como em várias federais.

As três universidades federais do estado – Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Universidade Federal do ABC (UFABC) – aderiram ao Enem de forma diversa. Alguns cursos da Unifesp adotaram o exame como prova única e outros como primeira fase. Já a UFSCar utilizará como 50% da nota e a UFABC como fase única. Das 55 federais no país, 25 adotaram o Enem como vestibular (prova única).

O ministro Fernando Haddad não demonstrou surpresa com os 4,5 milhões de inscritos no Enem, apesar de a estimativa inicial ter sido de algo entre 6 milhões e 8 milhões de candidatos. Ele afirma que, até o ano passado, com a possibilidade das inscrições serem feitas em papel e na internet, havia duplicidade. “Este ano, não. Com as inscrições só pela internet temos 4,5 milhões de CPFs. É o dobro do número de concluintes (do ensino médio) no país.”

(Com Agência Estado)