No Conselhão, Barbosa propõe limitar aumento do gasto público

Ministro da Fazenda sugere limite legal para o crescimento das despesas e o estabelecimento de uma margem fiscal para acomodar flutuações de receita

O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, propôs nesta quinta-feira, durante participação no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, criar um limite para o crescimento do gasto público e estabelecer margem fiscal para acomodar flutuações de receita. A informação foi divulgada pela página do conselho no Twitter. A reunião do Conselhão ocorre nesta tarde no Palácio do Planalto, em Brasília, e é fechada para a imprensa.

Esta é a primeira reunião do Conselhão depois de um ano e meio sem a realização desse tipo de encontro. A reunião conta com a presença da presidente Dilma Rousseff, além dos principais ministros do governo e de representantes da sociedade civil, do empresariado e de centrais sindicais.

Em outras declarações, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, disse que o BC tem atuado para assegurar estabilidade e bom funcionamento dos mercados. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, disse que o comércio exterior é fator muito importante para a recuperação da atividade econômica, segundo postagens sobre o encontro no Twitter.

Leia mais:

Conselhão: portas fechadas para abafar as angústias

Ano será marcado por incerteza na economia global, diz Tombini

“Juntos com os demais setores empresariais temos debatido propostas para enfrentar a crise”, disse Miguel Torres, presidente da Força Sindical. Alberto Broch, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), defendeu o desenvolvimento com fortalecimento da agricultura familiar, políticas de educação e cooperativismo.

(Com Agência Brasil)