EUA farão recall de 1 milhão de ‘smartphones explosivos’

Volume representa quase metade dos 2,5 milhões de aparelhos da Samsung que serão recolhidos por causa de seus risco de explosão

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira um recall de 1 milhão de smartphones do modelo Galaxy Note 7 da Samsung por causa de seu risco de explosão. A Comissão de Proteção dos Consumidores (CPSC) formalizou o recall, em curso em dez países, depois que foram reportadas baterias com falhas que fizeram com que alguns telefones explodissem enquanto eram carregados.

A CPSC informou que nos Estados Unidos houve 92 registros de baterias superaquecidas, incluindo 26 que causaram queimaduras e 55 danos à propriedade, como incêndios em veículos e estacionamentos.

O anúncio afeta cerca de 1 milhão de aparelhos de um total de 2,5 milhões que devem ser recolhidos no mundo todo, prejudicando a imagem da fabricante sul-coreana de eletrônicos e líder mundial em vendas de smartphones.

Leia mais:
Galaxy Note 7 explode em hotel e prejuízo chega a R$ 4,4 mil
Homem diz que Samsung Galaxy Note 7 incendiou seu carro

A Samsung aconselhou os consumidores em dez países a trocarem seus Galaxy Note 7 por celulares temporários enquanto ela lança uma nova versão. Muitos usuários, no entanto, ignoraram a oferta, escolhendo esperar até que o novo modelo esteja disponível e citando a inconveniência de trocar de aparelho temporariamente.

As diferentes regulações nos países, assim como as diferentes reações dos usuários, causaram certo grau de incerteza e confusão nos clientes, dificultando os esforços da Samsung de fazer o recall o mais rapidamente possível. As autoridades de aviação dos Estados Unidos e do Japão pediram aos passageiros que não ligassem ou carregassem o Note 7 durante os voos.

Em uma tentativa de roubar o mercado da Apple, o Note 7 foi lançado antes do tempo no mercado americano.

(Com AFP)