SpaceX adia lançamento da quinta missão à ISS

O objetivo principal era levar mais de 2,2 toneladas de alimentos, provisões e experimentos científicos para abastecer a Estação Espacial Internacional. A próxima tentativa será na sexta-feira

A companhia SpaceX adiou nesta terça-feira o lançamento da cápsula Dragon para sua quinta missão de abastecimento da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), que seria acompanhada de um teste sem precedentes de aterrisagem do foguete Falcon 9 em uma plataforma no oceano Atlântico.

O lançamento, que já tinha sido adiado em duas ocasiões em dezembro, estava previsto para 6h20 (8h20, em Brasília) desta terça-feira desde o centro da Nasa em Cabo Canaveral, na Flórida. Com a contagem regressiva em andamento, o lançamento foi adiado quando faltava 1 minuto para a hora programada e a SpaceX não especificou imediatamente os motivos.

Pouco depois, tanto a SpaceX como a Nasa detalharam que os engenheiros da companhia detectaram um problema em um dos vetores do foguete que, provavelmente, teria causado uma “interrupção automática” do lançamento. A próxima tentativa acontecerá nesta sexta-feira a partir das 5h09 (7h09, em Brasília), indicou a SpaceX, uma das duas empresas privadas contratadas pela agência espacial americana para levar material à ISS.

Leia também:

Companhia russa anuncia plano para construir base na Lua

Astronautas comemoram o Natal na Estação Espacial Internacional

Missão – O objetivo principal da missão era lançar a cápsula não tripulada Dragon com mais de 2,2 toneladas de alimentos, provisões e experimentos científicos para abastecer a ISS. Trata-se da quinta missão desse tipo após o êxito das quatro anteriores, mas, dessa vez, quando a Dragon já estivesse em órbita e rumo à ISS, a SpaceX pretendia que a primeira fase do foguete Falcon 9 – a primeira a se desprender após o lançamento – aterrissasse de forma controlada em uma plataforma flutuante sobre o Atlântico, a cerca de 320 quilômetros ao leste de Jacksonville, na Flórida.

Essa tentativa de aterrissagem não tem precedentes, de acordo com a companhia, que estimou em dezembro suas probabilidades de êxito em 50% “no melhor dos casos”. A prova pretende ser a primeira de outras similares com as quais o multimilionário fundador da SpaceX, Elon Musk, procura desenvolver foguetes reutilizáveis que permitam baratear o custo dos voos espaciais.

A SpaceX alcançou no ano passado, em abril e julho, duas aterrisagens bem-sucedidas do Falcon 9. A empresa, com sede na Califórnia, tem um contrato de US$ 1,6 bilhão com a Nasa para realizar 12 missões de abastecimento da ISS com seu foguete Falcon 9 e sua cápsula Dragon.

(Com Agência EFE)