Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Painel da ONU conclui novo estudo sobre mudanças climáticas

Relatório fechado neste sábado deve apresentar novas evidências sobre o impacto da atividade humana nas mudanças

O painel da Organização das Nações Unidas (ONU) dedicado à análise de mudanças climáticas concluiu neste sábado um relatório sobre o aquecimento global que apresenta novas evidências sobre a forma como os humanos estão alterando o clima na Terra. O documento do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) combina três estudos realizados anteriormente e deve ser divulgado publicamente no próximo domingo.

Leia também:

Mudança climática pode aumentar pobreza, alerta ONU

Além de discutir a influência da ação humana no aquecimento global, a expectativa é de que o relatório descreva os impactos climáticos, como o derretimento de geleiras e a elevação do nível do mar. De acordo com a agência de notícias Associated Press, o texto deve abordar como essas consequências serão irreversíveis se as emissões de gases de efeito estufa não forem reduzidas.

De acordo com o IPCC, os cientistas têm 95% de certeza de que a emissão desses gases por meio da queima de combustíveis fósseis e o desmatamento são as principais causas do aquecimento global registrado desde meados do século XX. Jean-Pascal van Ypersele, vice-presidente do IPCC, afirmou no Twiiter que o relatório foi apresentado neste sábado após uma rodada de conversas.

Para o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), o estudo “oferece evidências científicas conclusivas de que as atividades humanas continuam causando mudanças sem precedentes no clima da Terra”. Segundo Achim Steiner, chefe do PNUMA, o mundo tem tecnologia para agir deve fazer isso urgentemente porque o custo de realizar cortes nas emissões aumenta exponencialmente a cada ano. “São necessárias mudanças mais drásticas em nossa economia”, disse.

Embora o IPCC evite dizer especificamente aos governos o que eles deveriam fazer, o levantamento apresenta cenários que mostram que o aquecimento global pode desacelerar se o mundo adotar fontes renováveis, como o vento e a energia solar.

(Com Estadão Conteúdo)