Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Onda de tornados nos EUA deixa mais de 30 mortos e avança para o sudeste

Os tornados que afetam o sudeste e o centro dos Estados provocaram na última semana danos materiais significativos, 37 mortos e centenas de feridos, em quatro estados.

O estado de Kentucky registrava 18 vítimas, seguido de Indiana, com 14. Em Ohio, houve três, e no Alabama e Geórgia uma, segundo autoridades regionais.

O Serviço Meteorológico Nacional (NWS, sigla em inglês) lançou no sábado um alerta que poderá afetar zonas de Alabama, Flórida e Geórgia, no sudeste, com ventos de mais de 120 km/h, chuvas de granizos de mais de 4cm, e raios.

Equipes de resgate procuravam sobreviventes entre os escombros, depois que mais de 80 tornados arrasaram o centro-oeste dos Estados Unidos na sexta-feira, inclusive apagando do mapa uma pequena cidade em Indiana.

As imagens do fenômeno climático são impressionantes: caminhões e árvores voando, ônibus chocados contra casas de tijolos, e muitas residências reduzidas a escombros.

O pequeno povoado de Marysville, em Indiana, na divisa com o Tennessee, foi apagado do mapa. “Informações telefônicas indicam que Marysville desapareceu”, lamentou o major Chuck Adams, porta-voz das autoridades locais.

Em Henryville, que tem 2 mil habitantes, imagens exibidas na TV mostravam ônibus escolares tombados e casas destruídas.

Segundo o “Indianapolis Star”, 250 membros da Guarda Nacional dirigiram-se em helicópteros até as zonas afetadas. “Estamos acostumados à fúria da natureza em Indiana, mas o que acabo de ver é terrível”, comentou o governador Mitch Daniels.

Em Kentucky, foram registrados 13 tornados, que mataram 17 pessoas, segundo dados dos serviços de emergência confirmados pelo governador, Steve Beshear. Houve danos em 40 condados, e 22 mil pessoas ficaram sem luz. Trezentas pessoas ficaram feridas no estado, e três pessoas morreram em Ohio.

O NWS recebeu 83 relatórios sobre tornados apenas ontem, aumentando o total da semana para 133.

Autoridades pediram à população que permanecesse em alerta neste sábado no sudeste do Alabama (onde houve uma vítima), centro e leste da Flórida, e sul e sudeste da Geórgia.

Em 2011, tornados mataram 545 pessoas nos Estados Unidos, um recorde desde 1936, segundo o NWS. Este ano, eles começaram mais cedo, com o inverno ameno criando condições para que as frentes frias se choquem com o ar mais quente, gerando o fenômeno. “Sabíamos que seria ruim”, reconheceu a meteorologista Angie Lese, do NWS.