Morre aos 63 anos Júlio César Voltarelli, pioneiro em pesquisas com células-tronco no Brasil

Cientista foi o primeiro a testar células-tronco para o tratamento de diabetes

O cientista brasileiro Júlio César Voltarelli, um dos pioneiros no país em pesquisa com células-tronco, morreu nesta quarta-feira, às 16h30, em Blumenau, Santa Catarina. A informação é da assessoria de imprensa da Universidade de São Paulo, onde Voltarelli era professor.

Voltarelli foi o primeiro a testar células-tronco para o tratamento de diabetes. “O tratamento substituía a medula óssea de uma pessoa no início da doença e tentava fazer com que essa medula começasse a produzir células saudáveis incapazes de destruir o pâncreas”, explica a geneticista Mayana Zatz, coordenadora do Centro de Estudos do Genoma Humano, da Universidade de São Paulo.

Controverso – De acordo com Mayana, Voltarelli era um pesquisador extremamente corajoso e testava ideias que ainda eram questionadas pela comunidade científica. “Era uma pessoa controversa, mas de diálogo aberto”, diz Mayana. “É uma grande perda para a ciência.” O especialista também tentou tratar a esclerose múltipla com células-tronco.

Voltarelli trabalhava como professor titular do Departamento de Clínica Médica da FMRP (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto), da USP, e coordenava a Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital das Clínicas e o Laboratório de Imunogenética da FMRP.

O cientista tinha 63 anos e estava internado no hospital Santa Isabel, em Blumenau, desde 9 de março. Na ocasião, Voltarelli passou por um transplante de fígado. Ainda de acordo com informações da assessoria, o corpo será levado a Ribeirão Preto, São Paulo.