Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Concentração de gases do efeito estufa bateu novo recorde em 2014, diz ONU

É o maior nível de gás carbônico em trinta anos, de acordo com relatório anual da Organização Meteorológica Mundial, divulgado nesta segunda-feira (9)

Os níveis dos gases do efeito estufa na atmosfera tiveram uma alta recorde em 2014, em um momento em que o agravamento das mudanças climáticas faz com que o planeta fique mais perigoso para as gerações futuras, disse nesta segunda-feira (9) a Organização Meteorológica Mundial (OMM), agência da Organização das Nações Unidas especializada no comportamento da atmosfera da Terra.

“A cada ano dizemos que o prazo está se esgotando. Temos que agir agora para reduzir as emissões de gases do efeito estufa se quisermos ter uma chance de manter o aumento da temperatura em níveis administráveis”, disse o secretário-geral da entidade, Michel Jarraud, em comunicado.

Leia também:

Congresso americano investiga manipulação de dados para “provar” o aquecimento global

“A solução para lidar com as mudanças climáticas está na melhor gestão das cidades”

Gráficos de emissões elaborados pela agência em seu relatório anual sobre as condições atmosféricas do planeta mostram a elevação constante dos níveis de dióxido de carbono, o principal gás do efeito de estufa, que alcançou 400 partes por milhão (ppm), estabelecendo um novo recorde a cada ano desde que foram iniciados monitoramentos confiáveis, em 1984.

Os níveis de dióxido de carbono alcançaram a média de 397,7 ppm em 2014, mas rapidamente romperam a barreira de 400 ppm no hemisfério norte no início de 2014, e novamente no início de 2015.

“Logo, 400 ppm será uma realidade permanente”, disse Jarraud. “Isso significa temperaturas mais quentes no mundo, eventos climáticos mais extremos, como ondas de calor e inundações, derretimento de gelo, elevação do nível do mar e aumento da acidez dos oceanos. Isto está acontecendo agora e estamos nos movendo em território desconhecido em uma velocidade assustadora.”

Outros gases do efeito estufa – Níveis dos outros dois principais gases do efeito de estufa produzidos pelo homem, o metano e o óxido nitroso, também continuaram sua ascensão em 2014, chegando a 1.833 partes por bilhão (ppb) e 327,1 ppb, respectivamente, de acordo com o relatório. Ambos tiveram seu mais rápido ritmo de aumento em uma década.

O painel de cientistas do clima da ONU estima que as concentrações de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso são as mais elevadas em pelo menos 800.000 anos.

Mais de 150 países, liderados pela China e Estados Unidos, os maiores emissores de gases de efeito estufa, divulgaram planos para limitar as emissões de gases do efeito de estufa a partir de 2020. Mas os planos revelados até agora não irão reduzir as emissões o suficiente para atender a uma meta acordada em 2010 de limitar o aquecimento mundial a menos de 2°C em relação aos níveis pré-industriais.

Em 30 de novembro se inicia a a Conferência de Paris (COP-21), a Convenção do Clima da Organização das Nações Unidas (UNFCCC), em que os países discutirão propostas para conter as mudanças climáticas.

(Com Agência Reuters)