Calypso, navio de Jacques Cousteau, vai voltar ao mar

Mítica embarcação do explorador francês está abandonada desde 2007 num porto da Bretanha

O Calypso, mítico navio de pesquisas hidrográficas do explorador francês Jacques-Yves Cousteau, abandonado desde 2007 num porto francês, vai voltar ao mar, anunciou nesta quinta-feira a equipe Cousteau, associação dona do barco. “Nós estamos trabalhando para tirar o barco de Concarneau (Bretanha, oeste) em três meses. Nosso objetivo é reparar completamente o navio e fazê-lo navegar novamente para ser o embaixador dos oceanos como sonhava o comandante”, afirmou a equipe Cousteau à reportagem da AFP. “Nós estimamos que serão necessários entre 12 e 18 meses para que o Calypso volte a navegar”, disse a associação.

Originalmente, o Calypso era um caça-minas britânico da Segunda Guerra Mundial, convertido por Cousteau em navio oceanográfico. A bordo dele, o explorador francês atravessou a partir durante mais de 40 anos os oceanos para realizar filmes sobre o fundo do mar. Em janeiro de 1996, um ano antes de sua morte, o Calypso naufragou em Singapura. Trazido novamente à tona, chegou até Concarneau em 2007, onde deveria ser restaurado. No entanto, a reforma foi interrompida por desavenças entre o estaleiro naval Piriou, encarregado da obra, e a equipe Cousteau. Em dezembro de 2014, a justiça francesa tinha proferido uma decisão exigindo que a associação levasse o Calypso antes de 12 de março de 2015 e pagasse a conta das obras ao estaleiro, cerca de 300.000 euros.

(com AFP)